quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Nova tecnologia controla melhor o Diabetes Tipo 1, indica pesquisa

29 de outubro de 2019
Ser diagnosticado diabetes tipo 1 muda significativamente a rotina dos pacientes, que precisam monitorar regularmente seus níveis de açúcar no sangue para garantir que não se tornem perigosamente altas ou baixas. Atualmente, pessoas com o quadro precisam picar o dedo várias vezes ao dia para medir seus níveis de açúcar no sangue ou utilizar um monitor de glicose. Dependendo dos números, é indicado que os pacientes administrem insulina. Mas uma nova forma de tecnologia testada recentemente e descrita no periódico New England Journal of Medicine poderia substituir esses métodos convencionais. 

Como o estudo foi feito
A pesquisa analisou um tipo específico de pâncreas artificial (Control-IQ system), dispositivo que monitora e regula os níveis de glicose no sangue. Quando o aparelho detecta que a pessoa necessita insulina, uma bomba libera o hormônio no corpo. 168 pessoas com diabetes tipo 1 e com idade mínima de 14 anos foram recrutadas. Mais de 100 participantes foram designados para usar o novo sistema. Outros 56 pacientes formaram um grupo de controle que usava terapia com bomba e sensor que não alterava as doses de insulina automaticamente. Os pesquisadores queriam que os pacientes seguissem suas vidas como o de costume, para não monitorar os sistemas remotamente. Os participantes, no entanto, entraram em contato com os pesquisadores a cada poucas semanas para verificar os dados do dispositivo. A equipe observou em quanto tempo que níveis de glicose no sangue atingiram uma faixa alvo de 70 a 180 miligramas por decilitro. 

Resultados
Os resultados mostraram que os níveis de açúcar no sangue das pessoas que usavam o sistema Control-IQ estavam na faixa alvo por cerca de duas horas e meia por dia a mais do que anteriormente. Aqueles que usaram o outro tipo de terapia não passaram nenhuma mudança considerável. O sistema também melhorou o controle da glicose no sangue dos participantes durante a noite — um avanço importante para pessoas cujos níveis caem significativamente quando dormem. "Ao tornar o gerenciamento do diabetes tipo 1 mais fácil e preciso, essa tecnologia pode reduzir a carga diária da doença, além de potencialmente reduzir as complicações do diabetes, incluindo doenças oculares, nervosas e renais", afirmou Griffin P. Rodgers, um dos responsáveis pela pesquisa, ao site Medical News Today. Segundo a equipe responsável, essas descobertas indicam que esse sistema tem o potencial de melhorar a saúde das pessoas que vivem com diabetes tipo 1, além de tornar os cuidados mais simples.

Fonte: Viva Bem/UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário