domingo, 8 de setembro de 2019

Estudo associa insônia na meia-idade a problemas na infância

07 de setembro de 2019
Cerca de 30% da população mundial sofre com dificuldades para pegar no sono ou manter-se dormindo, algo que acaba com o humor, a disposição e a produtividade. Apesar de ser mais comum depois dos 40 anos de idade, pesquisadores sugerem que a raiz do problema pode estar na infância. Isso mesmo. Médicos australianos especialistas em sono descobriram uma forte associação entre problemas de comportamento entre os 5 e 10 anos de idade e a insônia em adultos com 42 anos. O trabalho foi publicado na sexta-feira (6) no Jama Network Open, um periódico da Associação Médica Americana. Uma equipe da Universidade Flinders e do Instituto para o Sono e Saúde de Adelaide (AISH, em inglês) analisou um grande estudo com mais de 16 mil pessoas nascidas em 1970. Parte dos participantes foi acompanhada até a quarta década de vida. Os autores concluem que os pais devem ajudar os filhos a cultivarem bons hábitos relacionados ao sono desde muito cedo. Além disso, devem ficar atentos a problemas como bullying, ansiedade e irritação e buscar intervenções o quanto antes, pois isso tudo pode ter um impacto importante para esses indivíduos bem mais tarde, durante a meia-idade. A insônia crônica está associada a um risco aumentado de transtornos como a depressão, e ainda traz consequências para a economia. Os pesquisadores informam que, só no Reino Unido, os transtornos de sono geram uma perda de 50 bilhões de dólares por ano (mais de R$ 200 bilhões), e a insônia é o principal deles. Quer algumas dicas para fazer a garotada ter uma rotina de sono saudável? Tente fazer com que as crianças durmam e acordem todos os dias no mesmo horário, e pratiquem atividade física ao ar livre durante o dia. Outra recomendação importante é trocar as telas de TV, tablets e computadores por banhos mornos e leitura uma ou duas horas antes de ir para a cama.

Fonte: Blog do Dr Jairo Bouer

Nenhum comentário:

Postar um comentário