quarta-feira, 29 de maio de 2019

Por que a barriga ronca quando estamos com fome?

29 de maio de 2019
Basta passar um tempinho do horário em que estamos acostumados a almoçar ou jantar que a barriga dá sinal de vida. Surge aquele barulho característico, muito parecido com um ronco, e isso acontece porque quando estamos com fome, o ar e os líquidos do aparelho digestivo se misturam e formam o som tão conhecido.Geralmente, o nosso cérebro, com a ajuda de um nervo chamado vago, comunica-se com o intestino a fim de prepará-lo para a refeição que está por vir. Nesse momento, algumas substâncias que estimulam a secreção de ácido do estômago e a motilidade (movimento) intestinal são liberadas, então, ouvimos o ronco na barriga. Mas é importante saber que esse som pode ocorrer em qualquer momento, pois durante as refeições, ingerimos ar com a comida, e isso também faz gerar o ronco. A única diferença é que o estômago está cheio, o que impede de ouvirmos o barulho. Então, para evitar escutar o ronco na barriga, o ideal é investir em uma dieta balanceada de três em três horas. Desta forma, aceleramos o metabolismo e facilitamos a digestão. Além disso, é recomendado evitar qualquer tipo de alimento que nos traga desconforto gástrico, especialmente o excesso de bebidas gasosas, assim como refeições muito volumosas e ricas em gordura. Por outro lado, se o barulho na barriga aumentar, pode ser sinal de obstrução ao fluxo de líquidos e gases em alguma parte do sistema digestivo, por conta de algum tumor ou outro tipo de aderência na região que está impedindo esse movimento que é tão natural. Nesse caso, o ideal é procurar ajuda médica (de preferência um gastroenterologista), que irá detectar o problema e tratá-lo da melhor forma.  
Por Daniel Navas, Colaboração para o UOL VivaBem/Giuliano Mendes, cirurgião do aparelho digestivo e cirurgião oncológico, diretor do ECMI (Equipe de Cirurgias Minimamente Invasivas) e do Hospital Leforte, em São Paulo e Ricardo Barbuti, gastroenterologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo

Fontes: VivaBem/UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário