quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Jovem tem dedo amputado após ter câncer por roer unhas

06 de setembro de 2018
Uma jovem americana teve que ter a ponta do dedo amputada após os médicos descobrirem um tipo raro de câncer. A doença se manifesta devido ao ato de roer as unhas, segundo o Daily Mail. Courtney Whithorn de 20 anos conta que começou a roer as unhas depois de ter sido alvo de bullying na escola e que havia momentos em que era tão grave que em 2014 chegou a roer uma unha inteira. Na altura, a unha nasceu em tom preto, algo que envergonhava a jovem australiana. Após quatro anos, Courtney decidiu ir ao médico e foi aí que descobriu que havia desenvolvido uma rara forma de câncer conhecido como melanoma acral lentiginoso subungueal. Courtney submeteu-se a uma primeira operação para tentar remover o tumor, mas após uma semana soube que não tinha dado o resultado esperado e que teria mesmo de amputar parte do dedo. Agora aguarda para saber se a amputação foi suficiente ou se terá de se submeter a nova cirurgia. Aos restantes amigos e familiares, os últimos 2 meses têm sido um momento desafiador para a equipa whithorn. Extremidades lentiginous subungueal melanomas são um tipo raro de câncer de pele, o que representa menos de 2 % de todos os diagnósticos de melanoma. Esta forma de câncer não é causada por exposição ao sol, mas sim por danos ao site. Na terça-feira, dia 24 de julho fui diagnosticado com um melanoma maligno maligno, causado pelo trauma para a minha cama de unha. Durante o meu último ano de escola em 2014, fui zuado ao ponto em que até o pensamento de ir para a escola me deu ansiedade, tanto assim que morder as minhas unhas se tornou um mecanismo de enfrentamento. Devido ao stress e ansiedade, nem percebi que tinha mordido totalmente toda a minha unha de polegar, até ver sangue na mão. Esse bullying foi realizado fora da escola e ainda me afeta agora, 4 anos depois. Essa sou eu depois da minha 4 ª cirurgia, uma varredura de pet clara e biópsia do nó senital, e uma amputação de polegar acima do nó. Eu tenho sorte. O que algumas pessoas acharam que era alguma provocação sem sentido e empurrando por aí, acabou por levar ao meu diagnóstico de câncer. Sou eternamente grata aos cirurgiões, enfermeiros e seus membros do pessoal que me ajudaram ao longo desse processo assustador, mas a maioria de tudo sou eternamente grato pela família que eu tenho. Sem meus pais ferozes, irmã corajosa, cunhada atenciosa, parceira amorosa e o resto da equipe whithorn / Spurgeon do outro lado da Globo, não sei como eu teria conseguido passar por essa etapa da minha vida. Cada um e cada um deles são os meus super-Heróis. Depois do mais emocionalmente drenagem poucos meses - ainda estou esperando o que espero que seja o meu conjunto final de resultados para me dar a final 'tudo claro' - estou tão feliz por fechar este livro e continuar com mais conhecimento e consciência do que nunca Antes. Por favor, certifique-se de que você pensa no que você diz e sobre as pessoas, porque você realmente não faz ideia do impacto psicológico, emocional e físico que pode ter em alguém.

Fonte: MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário