Petrocar Transportes

Petrocar Transportes

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Homem cogita câncer, mas tinha peça de brinquedo no pulmão há 40 ANOS

27 de Setembro de 2017
Médicos ingleses retiraram do pulmão de um homem uma peça do brinquedo Playmobil que havia sido acidentalmente inalada há pelo menos 40 anos. O caso foi publicado por quatro especialistas em artigo no "British Medical Journal" na última quinta-feira (21). Segundo relatam os médicos, um carteiro de 47 anos da cidade de Preston procurou ajuda em uma clínica de doenças respiratórias incomodado com uma insistente tosse que o acompanhava há pelo menos um ano. A equipe suspeitava de que ele tivesse um tumor - de acordo com o jornal britânico The Guardian, o paciente era fumante e havia tido uma pneumonia recentemente. Mas os exames mostraram que havia algo preso em seu pulmão. Os médicos suspeitavam que se tratava de um câncer – já que o carteiro é fumante há muitos anos. Playmobil. O homem então passou por uma broncoscopia, que trouxe o resultado inesperado: o tumor na verdade era um cone de trânsito de Playmobil "perdido há muito tempo", já que o paciente contou que ganhou este brinquedo de presente no seu aniversário de sete anos. O homem relatou aos especialistas que brincava regularmente de Playmobil na infância e que se lembra de ter engolido algumas peças, mas que não se recorda de ter inalado o cone de trânsito. Os próprios médicos escrevem no artigo que é comum crianças levarem os objetos à boca ou ao nariz, mas o que torna o caso do carteiro totalmente incomum é o fato de sintomas só terem se manifestado depois de quase 40 anos. No artigo, eles levantam a tese de que o homem era tão jovem quando inalou o brinquedo que sua via aérea pode ter sido capaz de se remodelar e se adaptar à presença de um corpo estranho. E o caso inusitado ainda teve um final feliz: quatro meses após a remoção do pequeno cone de trânsito, a tosse do paciente quase desapareceu e seus sintomas melhoraram acentuadamente, conclui o estudo.

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário