Inglês Aecus

quarta-feira, 1 de março de 2017

Carnaval do Recife em 2017 levou 1,3 milhão de foliões às ruas, 200 mil a menos que no ano anterior

01 de Março de 2017
Durante os quatro dias de carnaval, 1,3 milhão de foliões foram às ruas do Recife para curtir a festa, segundo balanço apresentado pela prefeitura do município na tarde desta Quarta-feira de Cinzas (1º). Apesar do registro de 200 mil pessoas a menos em relação a 2016, a administração municipal celebrou o quantitativo de pessoas que participaram da folia e também avaliou positivamente os 96,8% de ocupação de leitos na rede hoteleira na capital pernambucana durante o período carnavalesco. Exaltando o sucesso da festa, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, afirmou que o alto percentual de turistas na cidade é fruto não só da tradição da festa recifense, mas também dos investimentos feitos para a realização do evento. "Ter 97% de ocupação na rede hoteleira não é pouco. Num momento como esse que o Brasil está passando, isso mostra o quanto é importante o investimento no carnaval, não somente pela história e pela cultura, mas também pela economia", frisou. Segundo a secretária de Turismo, Esportes e Lazer do Recife , Ana Paula Vilaça, o percentual foi obtido através da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih). Mesmo com um aumento de 1.348 leitos na cidade em relação a 2016, a taxa de ocupação na área hoteleira cresceu 7% em relação ao ano passado. "Num momento de crise, isso mostra que o turista não deixou de vir à nossa cidade", afirmou. De acordo com a Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur), o tempo médio de permanência dos turistas foi de 4,9 dias. Ainda segundo a Prefeitura do Recife, desembarcaram no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre 250 mil passageiros desde o dia 23 de fevereiro. Para atender à demanda, houve um incremento de 163 voos disponibilizados pelas companhias aéreas para a festa. Entre os que vieram de fora para brincar o carnaval na capital pernambucana, 87,7% tiveram as expectativas atendidas ou superadas, segundo pesquisa encomendada pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer. Dos 980 turistas entrevistados, 97,4% pretendem voltar para a festa em anos futuros e outros 98,5% recomendariam a festa recifense. 

Finanças
Para a realização da festa, administração municipal investiu R$ 20 milhões. O montante serviu, por exemplo, para o custeio da infraestrutura nos 47 polos da folia e para pagar os prêmios dos concursos culturais promovidos pela prefeitura. Do total, R$ 3,7 milhões foram empregados para apoiar o desfile de 317 agremiações durante o carnaval. Até agora, a primeira parcela, de R$ 1.418.715,50, já foi paga, segundo a prefeitura. A segunda parcela deve ser quitada logo após o carnaval, depois de prestação de contas e comprovação do desfile. Questionado sobre o pagamento de cachês aos 965 artistas que participaram da festa, o prefeito Geraldo Julio assegurou que a administração municipal tem trabalhado para quitar os débitos. “Os pagamentos se iniciam após a realização do carnaval. Os artistas devem fazer a comprovação de suas apresentações e vão receber normalmente. Os artistas têm o direito de receber em dia, merecem isso e o nosso esforço é atender a essa demanda”, comentou.

Serviços em números
Em 2017, 600 agentes da Guarda Municipal do Recife atuaram, por dia, na prevenção de conflitos e em orientações gerais aos foliões. Em relação à limpeza, mil garis trabalharam durante os quatro dias de carnaval para manter a cidade limpa. Ao final dos dias de Momo, foram retiradas 450 toneladas de lixo das ruas. Somente no Galo da Madrugada, as equipes retiraram 112 toneladas de lixo da cidade. Em relação à mobilidade, 230 profissionais da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) atuaram diariamente na orientação de motoristas e no controle do fluxo de veículos nas ruas próximas aos polos da folia. Durante os dias de festa, foram contabilizados 102 acidentes de trânsito, dos quais 23 tiveram vítimas. Não foram registrados óbitos. No Expresso da Folia, ônibus que leva foliões dos shoppings da cidade até o Bairro do Recife, foram transportados cerca de 27 mil passageiros desde o sábado (25) até ás 5h da Quarta-feira de Cinzas (1º). Ao todo, os 31 ônibus da frota realizaram 1.166 viagens. No setor da saúde, foram realizados 743 atendimentos nos postos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) durante os dias de Momo no Recife. Além disso, a Prefeitura do Recife realizou teste rápido de HIV para 779 foliões entre a sexta (24) e a terça (28), dos quais 10 casos tiveram resultado positivo. O número representa 1,2% do total de testes e, ainda assim, representa o dobro da média esperada para a festa, de 0,6%. Durante o carnaval, a Vigilância Sanitária inspecionou 1.708 locais de comércio formal e informal. Todos os 47 polos da folia e 450 imóveis também foram vistoriados pela Vigilância Ambiental durante os dias de festa como parte das ações de combate ao Aedes aegypti. Ainda durante a festa, foram realizados 802 atendimentos pela Central de Direitos Humanos. Desse total, foram emitidas 735 pulseiras de identificação de crianças e 85 pulseiras de acessibilidade para surdos, cegos, usuários de cadeiras de rodas e pessoas com deficiência intelectual. Em relação ao comércio montado no carnaval do Recife, as 166 barracas, o polo das tapioqueiras e de corte e costura de fantasias movimentou R$ 949 mil durante os dias de festa. Somente no faturamento centralizado, foram movimentados cerca R$ 818 mil durante a festa de Momo.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário