Top de Linha

Top de Linha

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Panturrilha é mais exigida que músculos do quadríceps ao correr

14 de Fevereiro de 2017
O estudo do envolvimento dos diversos grupos musculares na caminhada e corrida é uma área da biomecânica que traz grande contribuição para a melhora de desempenho e prevenção de lesões. Um estudo publicado no fim do ano passado por pesquisadores da Universidade de Helsinque, na Finlândia, fez abordagem bastante interessante. O objetivo da pesquisa foi determinar a exigência de dois grupos musculares fundamentais para a locomoção. Os pesquisadores avaliaram o quadríceps (músculo da face anterior da coxa) e os músculos da panturrilha, durante a caminhada e a corrida. O propósito era determinar o limite funcional desses grupos musculares e sua contribuição para a performance nos dois padrões de movimento. Na medida em que um grupo muscular seja exigido muito próximo de seu limite funcional, ele se torna o fator limitante daquele padrão de movimento. Podemos considerar que existe até uma cultura de fortalecimento do quadríceps como fator fundamental para o desempenho na corrida. Entretanto o que os pesquisadores detectaram no estudo foi o diagnóstico que os músculos da panturrilha trabalham muito mais perto do seu limite funcional do que a musculatura da coxa, tanto na caminhada como na corrida. Isto significa que o "elo mais fraco" é exatamente a panturrilha, cujo fortalecimento é muitas vezes até pouco valorizado nos programas de preparação para melhora de desempenho e prevenção de lesões. O estudo recomenda nas suas conclusões que o fortalecimento desse grupo muscular e a manutenção da flexibilidade da articulação dos tornozelos sejam mais valorizados. A prevalência de fortalecimento do quadríceps e as conclusões do estudo sugerem como título do "Active Voice" do American College of Sports Medicine a frase que sem dúvida se torna até curiosa: Muito quadríceps e pouca panturrilha! 
Referência: Walking and Running Require Greater Effort from the Ankle than the Knee Extensor Muscles Medicine; Science in Sports; Exercise: November 2016 - Volume 48 - Issue 11 - p 2181–2189

Fonte: G1/Eu Atleta

Nenhum comentário:

Postar um comentário