Inglês Aecus

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Pai é preso no Rio por forjar sequestro da filha e pedir resgate de R$ 7,7 mil

22 de Dezembro de 2016
A Polícia Civil prendeu em flagrante Eder Vitorino Coelho nesta quinta-feira (22) por ter simulado o sequestro da própria filha de 1 ano e seis meses. Ele chegou a simular um bilhete em que pedia resgate de R$ 7,7 mil pela pela libertação da criança. O caso estava sendo investigado pela 36ª DP, em Santa Cruz, Zona Oeste, após a informação de que a menina teria sido levada do colo do pai na porta da casa dele, no mesmo bairro. A criança apareceu no final da manhã desta quinta. Segundo o tio, Aldo Alves, ela estava bem de saúde. De acordo com a polícia, esta não é a primeira vez que Eder finge que alguém da família foi raptado. Em 2014, ele também foi parar na delegacia por fingir o próprio sequestro. 
Bilhete falso
Segundo a polícia, na manhã desta quinta, Eder teria dito aos familiares que recebeu um bilhete exigindo o resgate para libertar a criança. O avô teria conseguido pouco mais de R$ 5 mil e o pai seguiu para conseguir a suposta libertação da criança. Na quarta, Eder foi até a delegacia para comunicar que ocupantes de um carro o teriam abordado e levado de seu colo o bebê. O crime revoltou até mesmo familiares. "Não tem necessidade. A família nunca passou por dificuldade. Ele nunca teve envolvimento com drogas e sempre trabalhou", disse a irmã do suspeito, que está preocupada com o futuro da sobrinha. O Conselho Tutelar será acionado para verificar se a mãe ou outros parentes próximos têm condições de cuidar da menina de dois anos incompletos. Segundo a tia, a mãe da criança também estaria enfrentando dificuldades. 
Bebê na casa da amiga
A polícia informou que Eder foi ouvido na delegacia e, após perceber que não seria mais possível sustentar a mentira, confessou o crime. Ele contou que deixou a criança com uma amiga e simulou toda a estória do sequestro. Uma mensagem da mulher para o pai da criança revela que ela estava preocupada com o que ele tinha feito. No entanto, segundo a Polícia, ela é considerada suspeita já não estava em casa no momento das diligências. O dinheiro do resgate recuperado pelos agentes estava na casa de Eder. O homem foi autuado em flagrante pelos crimes de extorsão e falsa comunicação de crime, cujas penas máximas somadas são de 10 anos e seis meses.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário