Top de Linha

Top de Linha

sábado, 27 de agosto de 2016

Previna-se contra o AVC, Médico da UNIMED VSF fala sobre os principais cuidados, tratamentos e prevenção

26 de Agosto de 2016
Segundo a Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares (SBDCV), o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a doença que mais mata os brasileiros e a principal causa de incapacidade no mundo. O neurocirurgião da Unimed Vale do São Francisco, Samuel Miranda de Moura, explica abaixo as principais causas, tratamentos e prevenção do AVC. Segundo o médico, “O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é o surgimento de um déficit neurológico súbito causado por um problema nos vasos sanguíneos do sistema nervoso central. Ele atinge com mais frequência indivíduos acima de 60 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade, inclusive nas crianças”, ressalta o médico. O AVC é dividido em 2 tipos. “Primeiro o AVC isquêmico: devido a obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria cerebral causando falta de circulação no seu território vascular. Ele é responsável por 85% dos casos de AVC. Já o segundo é o AVC hemorrágico que é causado pela ruptura espontânea de um vaso, com extravasamento de sangue para o interior do cérebro, para o sistema ventricular e/ou espaço subaracnoideo” diz o neurocirurgião. Entre as causas do AVC, o especialista destaca que “doenças do coração são as principais causas de AVC, especialmente as arritmias, batimentos cardíacos desregulados. Outras causas comuns são diabetes, hipertensão arterial e dislipidemias”, diz. “A melhor prevenção é o conhecimento e controle rigoroso com os fatores causais como doenças do coração, hipertensão arterial, diabetes e dislipidemia. Além disso, deve-se associar uma atividade física regular, evitar obesidade, limitar o consumo de álcool e evitar o fumo do cigarro. 

Tratamentos 
O tratamento vai depender do tipo de AVC. Na maioria dos casos o tratamento é conservador. “Nos casos de AVC isquêmico usamos medicamentos anticoagulantes, antiagregantes e estatinas. Alguns casos mais graves e extensos pode-se usar o tratamento cirúrgico. Nesses casos o diagnóstico precoce diminui o risco de sequelas com o uso de trombolíticos”, pontua. “Já nos casos de AVC hemorrágico o tratamento vai depender do tipo e tamanho da hemorragia. Por se tratar de uma patologia mais grave o monitoramento do neurocirurgião é essencial para decisão terapêutica. Em ambos os casos o tratamento é hospitalar, sendo importantíssimo o transporte imediato do paciente ao hospital para melhores resultados”, finaliza Samuel Miranda de Moura.
Ascom UNIMED VSF

Fonte: Blog Diniz K-9

Nenhum comentário:

Postar um comentário