Petrocar Transportes

Petrocar Transportes

terça-feira, 8 de março de 2016

Jaques Wagner é hostilizado em restaurante e chama manifestantes de “vagabundos”

07 de Março de 2016

O ministro-chefe da Casa Civil do governo Dilma Rousseff, Jaques Wagner, ouviu gritos de “Fora PT” e “ladrões”, quando almoçava em um restaurante japonês de Brasília, nesse domingo (06). Wagner respondeu, chamando os manifestantes de “vagabundos, mal-educados e fascistas”. Ele já estava se retirando do restaurante e tentou voltar, mas a mulher do petista,. Fátima, e o gerente do restaurante New Koto, localizado na SQS 212, o seguraram e o desencorajaram a prosseguir. Um das pessoas que gritaram, um homem de 52 anos, ouvido pelo Correio Braziliense, disse se sentir na necessidade de se manifestar, “para ele não pensar que está tudo uma maravilha, enquanto eles estão cercados no Planalto”. Também ouvido pelo jornal, Jaques Wagner lamentou o episódio e disse que “é preciso ter educação democrática: conviver com as diferenças sem discriminar ou ofender gratuitamente”. Mais cedo, no Rio de Janeiro, a filha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Lurian Cordeiro Lula da Silva, presente em manifestação em protesto contra a Rede Globo e em apoio a seu pai, alvo de uma condução coercitiva (quando alguém é obrigado a depor) na última sexta-feira (04) em operação da Polícia Federal, se recusou a falar com a Imprensa e acenou com o dedo do meio em riste. “Aqui para vocês, eu não falo com mídia golpista.” Esta foi a primeira vez que o ministro foi hostilizado. Outros ministros do governo Dilma já sofreram o mesmo constrangimento, mas em São Paulo. Foi o caso dos ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e da Saúde Alexandre Padilha. Em novembro do ano passado, foi a vez do presidente do PT, Rui Falcão, ser hostilizado, no aeroporto de Brasília, quando embarcava para São Paulo.
Imagem: Google

Fonte: Tribuna da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário