Petrocar Transportes

Petrocar Transportes

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O primeiro passo contra os preços abusivos dos combustíveis em Juazeiro-BA

30 de Novembro de 2015
Empresários, profissionais liberais e comunicadores estiveram reunidos no último sábado (28) na Orla de Juazeiro-BA, articulando um manifesto esta semana num dos postos que vende os combustíveis mais caros da região. A mobilização que começou num grupo do Whatsapp intitulado “Menor Preço” pretende motivar a população a procurar e abastecer em postos onde o preço esteja mais em conta. Em conversa com a imprensa eles alegam não entender como é que Juazeiro é distribuidor e pratica os preços mais caros que em outras cidades com 200 ou mais quilômetros de distância. Antônio Gama, um dos líderes do movimento, disse que a maneira pacífica de protestar vai ser exatamente copiar o modelo do sul do país, onde os consumidores comparecem a bomba de gasolina abastecem R$ 0,50 (cinquenta centavos) e pedem a nota. “A ideia é a gente conscientizar a população que o aumento aqui na região está muito abusivo. Por exemplo, agora no mês de novembro nós tivemos três aumentos nos combustíveis quando só um foi autorizado. Nós fizemos uma pesquisa na ANP e não conseguimos encontrar esses dois outros aumentos o que pressupõe que existe um grupo organizado em Juazeiro e Petrolina que está aumentando por conta própria” desabafou Gaminha. O empresário Crisitiano também manifestou a sua insatisfação e explicou que esses preços têm afetado diretamente o valor dos fretes e consequentemente influenciado na receita da sua empresa. “Pra você ter uma ideia um caminhão meu que leva fruta para região de Fortaleza e retorna com cimento gasta 25% mais de diesel em custo financeiro. É um absurdo. Está chegando no ponto de que a gente não tem mais como sobreviver. Vamos ter que parar. Vamos ter que mandar funcionário embora, chegamos ao limite. Eu estive esta semana em Santarém, no Pará, e o litro de gasolina é R$ 3,85 (três reais e oitenta e cinco centavos). Santarém está no meio da Floresta Amazônica, cerca de mil quilômetros de Manaus e a mil quilômetros de Belém do Pará. Ou seja, é um absurdo a gasolina no meio da Floresta Amazônica é R$ 0,30 (trinta centavos) mais barata que em Juazeiro e Petrolina” declarou Cristiano. O empresário se disse muito frustrado com o Ministério Público. “Eu gostaria de acreditar, mas não tenho fé. Eu acho que o princípio do Ministério Público é ser vigilante, zelar pelo bem da família, do cidadão. Ele não tem que ser provocado, ele tem que estar sempre alerta afinal de contas os promotores também abastecem os seus veículos” expressou Cristiano. O empresário do sul do país, que comercializa produtos cosméticos e está radicado na região há pouco tempo, Cláudio Emídio, também manifestou descontentamento com os preços dos combustíveis na região. “Em Petrolina a situação é semelhante e em alguns postos chega a ser pior que em Juazeiro. Eu trabalho de Petrolina até a região de Livramento de Nossa Senhora, distante cerca de 700 quilômetros e este percurso a gente está sempre fazendo e tenho observado as distorções. Observo que em alguns postos o diesel lá custa R$ 2,75 e aqui em Petrolina chega a R$ 3,16 e até R$ 3,20. Então é uma diferença muito grande para quem faz a riqueza desse país andar” protestou Cláudio Emídio. Uma página no Facebook também deve servir de mobilização para os consumidores das duas cidades.

Fonte: Blog do Geraldo José

Nenhum comentário:

Postar um comentário