segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Previdência: senadores propõem 78 emendas para tentar mudar texto antes do 1º turno de votação

16 de setembro de 2019
O Senado concluiu nesta segunda-feira (16) as cinco sessões de discussão, em primeiro turno, da proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência. Ao todo, os senadores apresentaram 78 emendas de plenário para tentar mudar o texto da reforma. Agora, com a conclusão da discussão em primeiro turno, a PEC voltou para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para que o relator, Tasso Jereissati (PSDB-CE), possa elaborar o parecer sobre as emendas de plenário. Antes de a PEC chegar ao plenário, há cerca de duas semanas, os senadores apresentaram quase 500 emendas na CCJ. O relator propôs a rejeição da maior parte. A expectativa é que a Comissão de Constituição e Justiça conclua a análise das sugestões até esta quinta (19). A votação da reforma da Previdência em primeiro turno está prevista para o dia 24 de setembro. Já o segundo turno, para até 10 de outubro. Entre as 78 emendas, estão propostas que visam alterar o pedágio de 100% para trabalhadores próximos da aposentadoria; modificar as regras para aposentadorias especiais; e retirar alteração no pagamento anual do Pis/Pasep. 

Tramitação das emendas
A tendência é que Tasso Jereissati opine pela rejeição de emendas que possam alterar o conteúdo da chamada PEC principal da reforma. Isso porque Tasso e defensores do texto querem evitar que o tema retorne para nova análise da Câmara, o que atrasaria a entrada em vigor das novas regras. Eles defendem a realização de eventuais mudanças de conteúdo por meio da chamada PEC paralela, um segundo texto que também está em análise pelo Senado. 

O que prevê a reforma da Previdência? 

Entre outros pontos, a PEC principal da reforma da Previdência prevê: 
*idade mínima de aposentadoria: 65 anos para homens e 62 anos para mulheres; 
*tempo mínimo de contribuição para trabalhadores do setor privado: 15 anos para mulheres e 20 anos para homens (15 anos para homens já no mercado de trabalho); 
*tempo mínimo de contribuição para o funcionalismo público: 25 anos para homens e mulheres; 
*idade mínima de aposentadoria para trabalhadores da área rural: 55 anos para mulheres e 60 anos para homens; 
*idade mínima de aposentadoria para professores: 57 anos para mulheres e 60 anos para homens; 
*policiais federais, legislativos, civis do DF e agentes penitenciários: idade mínima de 55 anos para homens e mulheres poderem se aposentar; 
*regras de transição: para quem já está no mercado de trabalho. 

Segundo estimativas do secretário da Previdência Social do Ministério da Economia, Rogério Marinho, a atual redação da PEC principal geraria economia de R$ 876,7 bilhões em 10 anos. De acordo com o colunista do G1 e da GloboNews Gerson Camarotti, a equipe econômica do governo monitora o andamento da PEC principal no Senado para evitar novas mudanças a fim de preservar o impacto da reforma. 

'PEC paralela'
A última sessão de discussão sobre a "PEC paralela", em primeiro turno, está prevista para a próxima quarta (18). Até o momento, o texto – que facilita a adesão de estados e municípios a novas regras previdenciárias para servidores públicos – recebeu 24 emendas de plenário. Se aprovada pelo Senado, a PEC paralela ainda terá de ser analisada pela Câmara dos Deputados. Assim como a PEC principal, a proposta paralela precisa ser votada em dois turnos. Não há datas previstas para as votações do segundo texto em plenário.

Fonte: G1

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

5°BPM participa de desfile cívico-militar em comemoração à Independência do Brasil

08 de setembro de 2019
No dia 07/09/19, em comemoração ao dia da Independência do Brasil, o 5º BPM participou de desfile Cívico-Militar, em Petrolina. O desfile ocorreu na Avenida Guararapes, uma das principais avenidas da Cidade, onde está localizada a Prefeitura Municipal, que sediou o palanque das autoridades civis e militares. Também participaram do desfile, as Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), o Colégio da Polícia Militar - Anexo I/Petrolina, 2º BIEsp, 4º Grupamento de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal e Guarda Civil Municipal.
Ascom 5º BPM/PMPE/Fotos: Divulgação

Fonte: Blog Diniz K-9

domingo, 8 de setembro de 2019

Série A2 do Pernambucano: Primeiro de Maio perde para o Centro Limoeirense e adia sonho de voltar à elite em 2020

08 de setembro de 2019
O time do Primeiro de Maio adiou por mais um ano o sonho de voltar à elite do Campeonato Pernambucano 2020. Jogando em Limoeiro, o Azulino do Atrás da Banca foi derrotado pelo dono da casa, o Centro Limoeirense, pela sétima e última rodada da Série A2 da competição. O representante de Petrolina precisa apenas de um empate para se garantir à próxima fase, mas acabou perdendo por 3×1. O Azulino até começou bem ao abrir o placar com o lateral-direito Ronaldo, no primeiro minuto de jogo. Mas o Centro tinha Thomas Anderson, o algoz do time sertanejo. Foi dele o gol de empate, aos 28 minutos, de pênalti. Thomas também fez o segundo e o terceiro, na etapa complementar, respectivamente aos sete e aos 47 (este último também de pênalti), classificando a equipe de Limoeiro.

Fonte: Blog do Carlos Britto

Conversas telefônicas mostram como Universidade Brasil negociava vagas em medicina e bolsas do Fies

08 de setembro de 2019
Conversas telefônicas obtidas com exclusividade pelo Fantástico e exibidas em reportagem neste domingo (8) revelam como era o esquema fraudulento de venda de vagas em cursos de medicina e de bolsas do Fies na Universidade Brasil, no campus de Fernandópolis (SP), que foi alvo da operação da Polícia Federal, deflagrada na terça-feira (3). Durante a operação intitulada como Vagatomia, vinte pessoas foram presas. No sábado (8), a Justiça Federal prorrogou por mais 5 dias a prisão de 11 suspeitos. Dois investigados com mandado de prisão expedido seguem foragidos. Entre as pessoas presas estão o empresário e reitor da universidade, o engenheiro José Fernando Pinto Costa, de 63 anos, e o filho dele, Stefano Bruno. Ambos são apontados pela polícia como chefes da organização. Segundo a PF, eles utilizavam o dinheiro obtido nas fraudes para comprar jatinhos, helicópteros e imóveis de luxo. O advogado de defesa da instituição nega a existência do esquema fraudulento. Em uma ligação interceptada pela Polícia Federal e cedida à equipe do Fantástico é possível ver como era feita a negociação. Uma mulher pergunta se é garantido que ela consegue transferir a faculdade e um homem responde que trouxe quase 70 pessoas de Cochabamba. “Agora ela estão aqui”, diz o homem. Em uma segunda escuta telefônica, um homem explica como funcionava o esquema. “Quem quer entrar em medicina e não consegue passar no vestibular o cara vende (..) e cobra R$ 150 mil, R$ 120 mil.” Em outra conversa obtida pelo Fantástico, uma mulher deixa bem claro como era fácil participar do esquema. “A lista rodou inteira. Até cachorro entrou, ou seja, não precisaria ter comprado." De acordo com a Polícia Federal, os integrantes da quadrilha se dividiam em núcleos. A parte empresarial era formada pela família do reitor. Os integrantes do administrativo eram funcionários da Universidade Brasil. Enquanto o comercial era exercido pelas assessorias que negociavam vagas com estudantes e tinham até um núcleo jurídico para ajudar a maquiar o golpe. 

Desconfiança
Estudantes que entraram na faculdade após serem aprovados no vestibular começaram a desconfiar das fraudes por causa da quantidade excessiva de alunos que frequentavam a instituição de ensino superior. “Inicialmente começou com dois, quatro, depois a gente começou a perceber que entravam 100, aí de repente 200 e 400. Nós temos discentes qualificados, único problema é que a quantidade de alunos afeta sim o ensino”, diz um universitário que preferiu não se identificar. Em dos casos comprovados que houve fraude, um aluno de medicina de Jales não conseguiu uma boa pontuação no vestibular. Na lista, o número dele era 618. A Universidade Brasil tinha somente 205 vagas, mas ele foi aprovado. A equipe de Fantástico descobriu como o aluno conseguiu pular 400 pessoas que estavam na frente dele. No dia 11 de abril, dois homens que fazem parte da organização criminosa entraram em um consultório médico e saíram com dois cheques, sendo um de R$ 15 mil e outro de R$ de 65 mil. Quem fez o pagamento foi o pai dele. O aluno conseguiu entrar na faculdade. “Ficou bem claro, não só pela apreensão do cheque em si, no valor de R$ 80 mil, mas pelas tratativas prévias que foram feitas”, afirma Cristiano Pádua, delegado da Polícia Federal. Por mensagem, o médico José Francisco Queda negou que tenha comprado a vaga para o filho dele, mas não explicou o porque deu dois cheques no valor de R$ 80 mil para integrantes da organização criminosa. Para o delegado Marcelo Ivo, da Delegacia Regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado, a participação das pessoas que compram vagas é essencial, pois sem elas não haveria o esquema fraudulento. 

'Ajudinha' para estudantes estrangeiros 
Além das fraudes nos programas do governo federal, a organização criminosa também realizava a transferências de estudantes que estudavam medicina em faculdades fora do Brasil. Médicos formados no exterior que querem trabalhar no Brasil precisam passar pelo Revalida, um exame nacional que torna válido o diploma. Contudo, os estudantes vinham do exterior e entravam na Universidade Brasil por meio de um vestibular forjado. “A partir do momento em que eles conseguiam ser transferidos para uma universidade aqui no Brasil, mediante pagamento, quando eles se formavam já não havia mais a necessidade de fazer o Revalida, de se submeter a esse exame”, diz delegado da PF Cristiano Pádua. Para burlar o sistema, o aluno cursava medicina, mas no papel, a universidade dizia que ele estava matriculado em outro curso na área de saúde. No semestre seguinte, a transferência para o curso de medicina era realizada. Nos últimos dez anos, José Fernando Pinto da Costa, dono da Universidade Brasil, vem acumulando acusações de fraudes e processos na Justiça. Quando era reitor da Uniesp, em 2011, ele divulgou o programa "Uniesp Paga". No programa, a faculdade se comprometia a pagar o Fies para estudantes de baixa renda. Em troca, o aluno tinha que fazer trabalhos voluntários em ONGS. Muitas pessoas se inscreveram e acabaram movimentando muito dinheiro. O problema é que a conta do Fies não foi paga e a dívida passou a ser dos estudantes. Segundo a Polícia Federal, as fraudes do Fies e na Universidade Brasil geraram um prejuízo de R$ 2 bilhões aos cofres públicos. 

O que diz a Universidade Brasil
O advogado do reitor e da Universidade Brasil nega a existência do esquema fraudulento. “Até o momento, não há nenhum elemento para que o Fernando ou seu filho soubessem do que estava acontecendo. A universidade continua à disposição para identificar, colaborar, indicar os responsáveis e para sanar os problemas”, afirma Pierpaolo Cruz. Em nota, o Ministério da Educação (MEC) disse apenas que instaurou processo administrativo para apurar o possível envolvimento de servidores nas fraudes da universidade e que a instituição foi suspensa cautelarmente para novos contratos do Fies. Sobre o Revalida, o MEC defende que somente as instituições de ensino superior com nota máxima no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) possam revalidar diplomas. “Virou literalmente uma bagunça. É uma situação muito grave porque no final das contas, quando a população vai ser atendida lá na posta, do outro lado da mesa, pelo jaleco branco, ela não sabe de o médico foi bem formado, que universidade que ele foi, se ele foi revalidado, ou se ele é formado de qualidade aqui no Brasil”, afirma o vice-presidente da Associação Médica Brasileira, Diogo Leite Sampaio. 

Operação 
As investigações começaram no início do ano após a PF receber informações de que estariam ocorrendo irregularidades no campus de um curso de medicina em Fernandópolis. De acordo com a PF, vagas para ingresso, transferência e financiamentos Fies para o curso de medicina estariam sendo negociados por até R$ 120 mil por aluno. O esquema contava com “assessorias educacionais”, que vendiam vagas no curso de medicina, financiamentos Fies e Prouni, além de fraudes em cursos relacionados ao Exame Revalida. De acordo com a PF, essas assessorias tinham o apoio dos donos e toda a estrutura administrativa da universidade para negociar centenas de vagas para alunos, que aceitaram pagar pelas fraudes em troca de matrícula no curso de medicina. Além disso, o Ministério Público Federal (MPF) pediu a instauração de um inquérito policial para apurar a responsabilidade de servidores do Ministério da Educação (MEC) suspeitos de terem omitido informações para contribuir com as fraudes cometidas na Universidade Brasil. Ao todo, 250 policiais federais foram às ruas para cumprir 77 mandados nas cidades de Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto (SP), Santos (SP), Presidente Prudente (SP), São Bernardo do Campo (SP), Porto Feliz (SP), Meridiano (SP), Murutinga do Sul (SP), São João das Duas Pontes (SP) e Água Boa (MT). A Polícia Federal informou que durante a operação alguns investigados tentaram fugir no momento das prisões e outros jogaram celulares de prédios, antes da entrada dos policiais. Os celulares foram recuperados e os foragidos foram localizados e presos. 

Fonte: G1

Torcida invade gramado, e atletas celebram acesso do Náutico à Série B do Brasileirão

08 de setembro de 2019
A festa do Náutico pelo acesso à Série B, conquistado neste domingo, quebrou todos os protocolos. Uma multidão invadiu o gramado, a sede foi completamente tomada pelos torcedores numa celebração que saiu do estádio e tomou as ruas do Recife. Os jogadores foram até difíceis de se encontrar, no meio do mar de gente, que estava nos Aflitos, mas eles falaram com a imprensa. O goleiro Jefferson dimensionou o tamanho da conquista para ele e para o clube. - Agradecer a Deus, meus familiares, meus companheiros, o torcedor que acompanhou a equipe. Aqui é o elenco. O clube Náutico Capibaribe que saiu vencendo. É merecimento. O treinador Dal Pozzo considerou a conquista uma das maiores da sua carreira. - Feliz com o dever cumprido, com o objetivo. Tive outras conquistas na carreira. Esta é especial, porque a gente vivencia o momento da carreira. Eu tinha um desafio de voltar ao Náutico, porque da última vez interromperam um trabalho que vinha sendo bem feito. A gente conseguiu cumprir o objetivo, uma bela campanha, uma retomada. Estou muito feliz.

Fonte: Globo Esporte

PETO 76 prende acusado de assaltar taxista em Juazeiro-BA

08 de setembro de 2019
Na noite deste domingo (08), uma Guarnição do PETO 76 da Polícia Militar da Bahia foi solicitada por populares na Avenida Irmã Dulce, Bairro Alto da Aliança, em Juazeiro, informando que um taxista havia sido roubado por uma pessoa que correu em direção a um bar na Rua Eurico Gaspar Dutra, porém o mesmo já foi alcançado na Travessa Bento Gonçalves, do mesmo bairro, onde foi abordado vindo a desobedecer e desacatar os componentes da guarnição com insultos e xingamentos, sendo que o mesmo foi reconhecido pela vítima. O autor do roubo foi identificado como Willames de Carvalho Ferraz, que já tem passagem por outros crimes cometidos nesta cidade. O taxista informou que o criminoso pegou a corrida do Centro até o Bairro Alto da Aliança e ao chegar no citado bairro o acusado desferiu uma “gravata” no pescoço da vítima na tentativa de desacordar o mesmo que por sorte escapou do golpe. Com o criminoso foi encontrado a quantia de R$ 20,00 dentro da pochete que estava na cintura do mesmo e o crachá de uma empresa de segurança e vigilância. A ação rápida dos policiais militares foi imprescindível na prisão do criminoso, conforme relatou a vítima. Diante das provas e dos fatos, vítima e acusado foram conduzidos a Delegacia de Polícia Civil para adoção das medidas cabíveis ao caso.
Ascom 76ª CIPM/PMBA/Foto: Divulgação

Fonte: Blog Diniz K-9

Alimentação inadequada pode aumentar risco de problemas psicológicos

08 de setembro de 2019
Os cuidados com a alimentação de crianças e adolescentes preocupam os pais, já que o consumo de nutrientes está ligado ao desenvolvimento dos filhos. Pesquisadores norte-americanos mostram que uma dieta equilibrada também faz bem à saúde psicológica. Segundo um estudo conduzido na Universidade do Alabama, jovens que consomem alimentos ricos em sódio e com baixo nível de potássio são mais propensos a desenvolver sintomas de depressão. Uma segunda investigação, desta vez na Universidade de Michigan, sinaliza que a deficiência de vitamina D na infância pode resultar em comportamento agressivo e ansiedade anos depois. “A depressão entre os adolescentes nos Estados Unidos aumentou 30% na última década, e queríamos saber por que e como diminuir esse número. Pouca pesquisa foi realizada sobre dieta e depressão”, conta ao Correio Sylvie Mrug, presidente do Departamento de Psicologia da Universidade do Alabama e autora de um dos estudos, publicado no periódico Physiological Reports no fim de agosto. Sylvie Mrug e colegas analisaram mais de 100 adolescentes de baixa renda, principalmente afro-americanos. Os jovens foram ouvidos pela equipe no início de 2017 e um ano e meio depois. Em ambos os casos, foram questionados sobre a ocorrência de sintomas depressivos. Os participantes também realizaram coleta noturna de urina para que os níveis de potássio e sódio no organismo pudessem ser mensurados. Os investigadores concluíram que a combinação única de alto teor de sódio e baixo teor de potássio pode ser usada para monitorar a ocorrência da depressão. “Nosso estudo mostra a necessidade de prestar atenção ao que nossos filhos estão comendo”, frisa a líder do estudo. A equipe defende, inclusive, que profissionais de saúde usem essa informação como biomarcadores de risco para a doença. “São necessárias intervenções para garantir que os adolescentes estejam recebendo nutrição adequada para diminuir o risco de depressão”, defende Sylvie Mrug. “Alimentos como frutas, legumes e iogurte contêm baixos níveis de sódio e grandes quantidades de potássio. Por isso, devem ser incentivados como parte da dieta diária de um adolescente”, complementa. Paul Sanders, professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Alabama e coautor do estudo, recomenda aos jovens que evitem alimentos altamente processados, incluindo fast-food. “O antigo ditado ‘coma suas frutas e seus legumes’ vem à mente com essa pesquisa. Embora mudar a dieta dessa maneira exija dinheiro e esforço, isso pode gerar benefícios para a saúde, incluindo a melhoria da saúde mental”, ressalta. 

Vitamina D 
A vitamina D também pode ser um marcador para a saúde mental de jovens, segundo pesquisadores da Universidade de Michigan. Boa parte das pesquisas sobre a deficiência desse nutriente aborda a relação de problemas como depressão e esquizofrenia em adultos e grávidas. Mas, segundo a equipe liderada por Eduardo Villamor, é preciso se atentar aos efeitos da complicação durante a adolescência, estágio em que problemas comportamentais podem aparecer pela primeira vez e se tornarem graves. Para entender melhor essa relação, em 2006, os cientistas recrutaram 3.202 crianças de 5 a 12 anos em Bogotá, na Colômbia, em escolas públicas primárias. Os pesquisadores obtiveram informações sobre hábitos diários de cada criança, nível de escolaridade materna, peso e altura, além de insegurança alimentar e status socioeconômico da família. Também realizaram coletas periódicas de amostras de sangue. Após cerca de seis anos, quando as crianças tinham entre 11 e 18 anos, os cientistas realizaram entrevistas pessoais de acompanhamento em um grupo composto por um terço dos participantes. Na ocasião, avaliaram o comportamento dos jovens por meio de questionários, respondidos também pelos pais. A análise mostrou que os jovens com níveis sanguíneos de vitamina D sugestivos de deficiência apresentaram quase duas vezes mais risco de desenvolver problemas de comportamento externalizantes — agressivos e violadores de regras —, quando comparados ao que tinham níveis maiores da substância. Além disso, baixos níveis da proteína que transporta a vitamina D no sangue (DBP) foram relacionados aos comportamentos agressivos mais relatados pelos responsáveis e a sintomas de ansiedade ou depressão. “Vimos que as crianças com deficiência de vitamina D durante os anos do ensino fundamental mostraram maiores problemas de comportamento quando chegaram à adolescência”, resume Eduardo Villamor, professor de epidemiologia na Escola de Saúde Pública da Universidade de Michigan e autor principal do estudo, publicado no Journal of Nutrition, em agosto. 

Alertas
Wanessa Stival, endocrinologista e metabologista do Instituto Castro e Santos, em Brasília, acredita que a pesquisa de Michigan corrobora dados de uma série de pesquisas recentes. “Temos muitos trabalhos que mostram os benefícios da vitamina D para a saúde, como controle da osteoporose e auxílio cognitivo. Agora, vemos como, nos adolescentes, a deficiência desse nutriente está relacionada a um comportamento mais agressivo”, frisa. “Essa relação da ansiedade e depressão com baixos níveis de vitamina D é algo que observamos também em adultos na prática clínica, dentro do consultório.” Segundo a médica, o estudo serve como alerta para cuidados que devem ser tomados com a alimentação desde a infância. “Eu gosto muito de uma regra de ouro que envolve dois pontos: consumir mais frutas e verduras e reduzir a ingestão de alimentos processados. Com essa medida, também reduzimos a quantidade de sódio consumido, um ponto ressaltado na outra pesquisa (Universidade do Alabama)”, diz. “Outro ponto importante é como a redução de vitamina D está associada ao estilo de vida moderno, apesar de muitas pessoas não perceberem isso. É importante ficar exposto ao Sol em horários em que ele não é prejudicial à pele, e, hoje, a maioria das pessoas fica em ambientes fechados, principalmente os jovens. É importante mudar esses hábitos”, alerta. Daniel Novais, nutricionista esportivo, lembra que falhas na alimentação durante a adolescência também causam obesidade, em alta nessa faixa etária. “Temos visto vários jovens usando suplementos alimentares que são desenvolvidos para adultos, muitos deles com efeitos termogênicos, por exemplo, ou aceleradores metabólicos”, complementa. “Esses produtos não devem ser usados porque o metabolismo é diferente. A ingestão pode causar distúrbios hormonais, entre outros danos”, alerta. Novais ressalta que a pressão para ter um corpo ideal também contribui para problemas psicológicos. “O adolescente quer ter aquele corpo que ele viu na internet e acaba recorrendo a estratégias erradas. Isso pode causar danos à saúde corporal e à emocional. Já tive pacientes internados, pois não se sentiam satisfeitos com o próprio corpo”, conta o nutricionista. 

Palavra de especialista

Refeição em família em extinção 
“A alimentação foi, durante muitos séculos, um espaço de convivência familiar. Hoje, tem sofrido transformações não apenas nos tipos de alimentos consumidos, mas, sobretudo, na forma como as pessoas se alimentam. As refeições deixaram de ocorrer no ambiente doméstico e deram lugar às imediações de escolas e instituições, visando à economia de tempo. Por isso, o preparo dos alimentos perdeu importância dentro da rotina de um lar e, consequentemente, o seu valor de agregar os membros de uma família. Com isso, os cuidados familiares foram substituídos pela conveniência dos produtos industrializados, o que tem resultado em uma alimentação menos variada e de pior qualidade. Atualmente, as refeições ocorrem sobretudo de maneira individualizada e, com frequência, diante de uma tela (celular, tablet e televisão), hábito que contribui para o aumento da obesidade. Quando a família compartilha o momento da refeição e se preocupa com o que é servido à mesa, fortalece os laços de afeto entre os seus integrantes e promove um cuidado que repercute em saúde para todos. O envolvimento dos pais com a rotina alimentar é fundamental para que os filhos desenvolvam uma consciência mais ampla em relação ao que consomem, entendendo como o que ingerem influencia a vida no presente e no futuro”, Vladimir Melo, doutor em psicologia e autor do livro Obesidade infantil: interações familiares e ciclo de vida numa perspectiva sistêmica.
Por Vilhena Soares

Fonte: Correio Braziliense

Jeep Renegade sai do top 10 e Hyundai Creta assume o topo dos SUVs mais vendidos. Confira os modelos mais vendidos em agosto

08 de setembro de 2019
A Federação Nacional Nacional de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou os números dos veículos vendidos no mês de agosto. O oitavo mês do ano registrou uma queda de 2,25% no emplacamento (243 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus vendidos) quando comparado com o mesmo mês do ano passado. Por outro lado, no acumulado para o ano todo, houve um aumento de 9,93% nas vendas em comparação com os oito primeiros meses do ano passado. Em números, até o mês de agosto foram comercializados 1,79 milhão de veículos em 2019. Mas, o que mais chama a atenção nas vendas de agosto é mesmo o ranking dos modelos. Como já era de se esperar, o podium permaneceu o mesmo. Em primeiro lugar a GM com o Onix que emplacou 22.396 unidades; seguida de Ford com o compacto Ka, responsável por 9.140 veículos vendidos; e, fechando o top 3 está a Hyundai com o HB20 que teve 8.187 unidades emplacadas. Até a oitava posição, não houve muita diferença. Em quarto lugar ficou o Volkswagen Gol (7.648), em quinto o Renault Kwid (7.455), em sexto o GM Prisma (7.251) e em sétimo o Volkswagen Polo (6.815). A principal novidade fica mesmo por conta do Hyundai Creta (6.643) que agora é o SUV mais vendido no Brasil e desbancou o Jeep Renegade que, inclusive, saiu do top 10 direto para a 13ª posição. Depois do Creta está o Fiat Argo em nona posição (6.560) e, fechando os 10 melhores colocados está o Fiat Mobi com 5.418 unidades emplacadas.

Fonte: Correio Braziliense/Vrum

Barcelona quer oferecer contrato vitalício a Messi, diz jornal

08 de setembro de 2019
Nesta semana, uma notícia chamou atenção do mundo do futebol. De acordo com a imprensa espanhola, Lionel Messi tem uma cláusula em seu contrato que permite dar a opção de deixar o clube catalão ao final de toda temporada, se assim quiser. No entanto, apesar da surpresa causada, Gerard Piqué admitiu que sabe desta cláusula no contrato de Messi e que Xavi e Iniesta tinham contratos parecidos, baseados apenas na lealdade entre jogador e clube. E a lealdade de Messi com o Barcelona pode ser até o final de sua carreira. O clube catalão, de acordo com o 'Mundo Deportivo', pretende oferecer um contrato vitalício ao craque argentino, para que o jogador não tenha um prazo final para deixar o clube. O último contrato de Messi foi firmado em 2017, quando o argentino assinou um novo vínculo até 2021 com o Barcelona.

Fonte: R7 Esportes

Estudo associa insônia na meia-idade a problemas na infância

07 de setembro de 2019
Cerca de 30% da população mundial sofre com dificuldades para pegar no sono ou manter-se dormindo, algo que acaba com o humor, a disposição e a produtividade. Apesar de ser mais comum depois dos 40 anos de idade, pesquisadores sugerem que a raiz do problema pode estar na infância. Isso mesmo. Médicos australianos especialistas em sono descobriram uma forte associação entre problemas de comportamento entre os 5 e 10 anos de idade e a insônia em adultos com 42 anos. O trabalho foi publicado na sexta-feira (6) no Jama Network Open, um periódico da Associação Médica Americana. Uma equipe da Universidade Flinders e do Instituto para o Sono e Saúde de Adelaide (AISH, em inglês) analisou um grande estudo com mais de 16 mil pessoas nascidas em 1970. Parte dos participantes foi acompanhada até a quarta década de vida. Os autores concluem que os pais devem ajudar os filhos a cultivarem bons hábitos relacionados ao sono desde muito cedo. Além disso, devem ficar atentos a problemas como bullying, ansiedade e irritação e buscar intervenções o quanto antes, pois isso tudo pode ter um impacto importante para esses indivíduos bem mais tarde, durante a meia-idade. A insônia crônica está associada a um risco aumentado de transtornos como a depressão, e ainda traz consequências para a economia. Os pesquisadores informam que, só no Reino Unido, os transtornos de sono geram uma perda de 50 bilhões de dólares por ano (mais de R$ 200 bilhões), e a insônia é o principal deles. Quer algumas dicas para fazer a garotada ter uma rotina de sono saudável? Tente fazer com que as crianças durmam e acordem todos os dias no mesmo horário, e pratiquem atividade física ao ar livre durante o dia. Outra recomendação importante é trocar as telas de TV, tablets e computadores por banhos mornos e leitura uma ou duas horas antes de ir para a cama.

Fonte: Blog do Dr Jairo Bouer

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Petrolina: Demissões na rede municipal de ensino gera preocupação em mãe

04 de setembro de 2019
Por Cleber Sena

Fonte: You Tube

Justiça do RJ manda soltar ex-governadores Garotinho e Rosinha

04 de setembro de 2019
Uma decisão do plantão judiciário, às 5h desta quarta-feira (4), concedeu liberdade ao casal de ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. Eles foram presos na terça (3) após um pedido da 2ª Vara Criminal da Comarca de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Garotinho passou a noite em um presídio em Benfica, na Zona Norte, e Rosinha foi levada para o complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O habeas corpus foi assinado pelo desembargador Siro Darlan e atende a um pedido da defesa. Garotinho e Rosinha vão responder ao processo em liberdade. A decisão de Siro menciona que a defesa enfrentou dificuldade de acesso aos autos do processo e destacou que falta embasamento para a prisão. "Não se nega, na espécie, a gravidade das condutas imputadas ao paciente. Nada obstante, por mais graves e reprováveis que sejam as condutas supostamente perpetradas, isso não justifica, por si só, a decretação da prisão cautelar", destaca Siro. A decisão define que, em liberdade, Garotinho e Rosinha não podem entrar em contato com outros réus ou testemunhas do caso e não podem sair do país sem autorização judicial, sendo obrigados a entregar os passaportes nos próximos cinco dias. Os dois também deverão comparecer em juízo até o quinto dia útil de cada mês com uma prova de residência. O texto de Siro afirma ainda que a prisão cautelar é uma medida excepcional que só deve ser usada quando amparada pela lei, em observância ao princípio constitucional da presunção de inocência. A filha do casal, deputada federal Clarissa Garotinho, classificou as prisões dos pais como abuso de autoridade. "A nossa família entende que o plantão judiciário do Tribunal de Justiça está restabelecendo a Justiça. Não é a primeira vez que a nossa família é vítima de abuso de autoridade cometido pela Justiça de Campos e nós não podemos mais admitir situações como essa", afirmou a parlamentar na porta do presídio em Benfica, na Zona Norte do Rio. A filha de Rosinha e Garotinho também afirmou que as outras prisões dos pais foram ilegais. "O desembargador que determinou a soltura deles hoje disse que não havia absolutamente nenhum motivo para que essa prisão acontecesse, são supostos fatos, pretéritos. Quer dizer, dar uma prisão preventiva de fatos que supostamente ocorreram há 11 anos atrás, para dizer que agora pode haver coação de testemunha? Isso é um absurdo", concluiu Clarissa Garotinho. 

Prisão
O casal e outras três pessoas foram presos na manhã de terça-feira (3). Eles são suspeitos de participação em um esquema de superfaturamento em contratos celebrados entre a Prefeitura de Campos e a construtora Odebrecht. O prejuízo aos cofres públicos pode chegar a R$ 60 milhões, segundo delações prestadas à força-tarefa da Lava Jato. Garotinho e Rosinha foram presos em casa, no Flamengo, Zona Sul do Rio. Foi a quarta vez que o ex-governador foi preso - e a segunda da mulher dele. O Ministério Público afirmou que a prisão preventiva do casal foi pedida por risco de alguma interferência de ambos nas investigações. A medida se fez necessária, segundo o MP, porque eles têm "poder dissuasório" em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense. Ambos foram prefeitos da cidade. A promotora Simone Sibilio, coordenadora do Grupo de Atuação Especializada e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), citou o "poder dissuasório" dos réus em Campos e falou até em ameaças.

Fonte: G1

Bolsonaro assina MP que prevê pensão vitalícia para crianças com microcefalia causada por zika

04 de setembro de 2019
O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quarta-feira (4) uma medida provisória (MP) que prevê o pagamento de pensão vitalícia para crianças com microcefalia causada pelo vírus da zika. O valor da pensão será de um salário mínimo, atualmente em R$ 998. A assinatura da MP aconteceu em uma cerimônia no Palácio do Planalto da qual também participaram a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, e outras autoridades. O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quarta-feira (4) uma medida provisória (MP) que prevê o pagamento de pensão vitalícia para crianças com microcefalia causada pelo vírus da zika. O valor da pensão será de um salário mínimo, atualmente em R$ 998. A assinatura da MP aconteceu em uma cerimônia no Palácio do Planalto da qual também participaram a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, e outras autoridades. Até a última atualização desta reportagem, o governo não havia informado a origem dos recursos para o pagamento da pensão vitalícia nem o montante previsto a ser pago. Por se tratar de medida provisória, o ato de Bolsonaro terá força de lei assim que publicado no "Diário Oficial da União". A partir daí, o Congresso Nacional terá até 120 dias para aprovar a MP conforme o governo a enviou ou com alterações. Durante a cerimônia de assinatura, Bolsonaro pediu aos parlamentares que não alterem a MP, acrescentando que, se a redação for modificada, ele irá vetar. "Não alterem essa MP, não façam demagogia", afirmou. Sem citar nomes, Bolsonaro afirmou ter "pedido a Deus" que "ilumine pessoas malignas" que, segundo ele, "vivem entre nós". "Peço a deputados e senadores que não alterem essa medida provisória. Não façam demagogia, já que não tiveram competência ou caráter para fazer em governos anteriores. Caso contrário, terei que vetar, para não cometer crime de responsabilidade e ser submetido a crime de impedimento", declarou o presidente. 

Entenda a medida provisória 

De acordo com o Ministério da Cidadania
*serão beneficiadas as famílias que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC); 
*as crianças têm de ter nascido entre 2015 e 2018; 
*as crianças precisam ter microcefalia causada pelo vírus da zika;
*a pensão especial deverá ser solicitada ao INSS; 
*o benefício será concedido após perícia médica confirmando a relação entre a microcefalia e o vírus; 
*as famílias terão de optar pela pensão vitalícia ou pelo BPC, não podendo acumular os dois pagamentos. De acordo com o Ministério da Cidadania, há no país 3.112 crianças com microcefalia, nascidas entre 2015 e 2018, que recebem o BPC. 

Legislação atual
A legislação atual prevê o pagamento do BPC a famílias com crianças vítimas do zika. A renda familiar é levada em conta. Com isso, segundo o governo, famílias que conseguem emprego ou aumento de renda perdem o direito ao benefício. O texto da medida provisória retira essa regra e mantém a pensão mesmo que a renda familiar mude. "As mães passaram a ganhar BPC, mas não podiam ter emprego, qualquer atividade. Porque, a renda aumentando, elas perdiam direito ao BPC. A grande maioria é diarista, 80%, 90%, se parassem de trabalhar, não teriam renda nenhuma. E tiveram que parar, porque as crianças com essa síndrome exigem muito de quem cuida", declarou Osmar Terra. 

Relação entre o vírus e a microcefalia
Em novembro de 2015, o Ministério da Saúde reconheceu a relação entre a microcefalia e o vírus da zika. No mesmo ano, a Organização Mundial de Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde emitiram um alerta mundial sobre a epidemia do vírus.

Fonte: G1

CCJ do Senado aprova texto-base da reforma da Previdência e inicia análise dos destaques

04 de setembro de 2019
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (4) por 18 votos a 7 o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência. Com a aprovação do texto-base, os senadores passaram a analisar os destaques, propostas que visam alterar o texto do relator Tasso Jereissati (PSDB-CE), etapa que ainda estava em andamento até a última atualização desta reportagem. Quando a comissão concluir a votação da PEC, o texto seguirá para o plenário do Senado, onde será submetido a dois turnos de votação. A proposta só será aprovada se tiver os votos de pelo menos 49 dos 81 senadores nos dois turnos. A presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS), pretende colocar em votação ainda nesta quarta a chamada PEC paralela, que prevê a adoção, por estados e municípios, das regras do regime próprio da previdência dos servidores da União, através da aprovação de lei ordinária. 

Ponto a ponto

Entre outros pontos, a reforma da Previdência prevê: 

Idade mínima de aposentadoria
65 anos para homens e 62 anos para mulheres; 
Tempo mínimo de contribuição para trabalhadores do setor privado
15 anos para mulheres e 20 anos para homens (15 anos para homens já no mercado de trabalho); 
Tempo mínimo de contribuição para o funcionalismo público
25 anos para homens e mulheres; 
Idade mínima de aposentadoria para trabalhadores da área rural
55 anos para mulheres e 60 anos para homens; 
Idade mínima de aposentadoria para professores
57 anos para mulheres e 60 anos para homens; 
Policiais federais, legislativos, civis do DF e agentes penitenciários
idade mínima de 55 anos para homens e mulheres poderem se aposentar; 
Regras de transição
para quem já está no mercado de trabalho. 

Complementação de voto

Mais cedo, nesta quarta, o relator Tasso Jereissati apresentou um complemento de voto, acolhendo uma série de emendas. 

Saiba as mudanças acolhidas: 

Proteção aos informais
Especifica que os trabalhadores informais também terão direito ao sistema especial de inclusão previdenciária, que hoje atende aos microempreendedores individuais (MEI). O impacto fiscal esperado para os 10 primeiros anos é positivo, já que a mudança, ao aumentar a cobertura previdenciária, aumenta também a arrecadação. 

Reparações
Jereissati decidiu suprimir um trecho do parecer que previa que as indenizações a anistiados passassem a ter tratamento previdenciário, exigindo o recolhimento de tributos. O relator justificou a retirada argumentando que isso "motivaria óbvias ações judiciais" contra a reforma, além de carregar "o signo da retaliação". Segundo ele, o impacto dessa cobrança também representaria apenas 0,1% em relação ao impacto total. 

Ex-parlamentares
Outra emenda acolhida especifica que as mudanças nas regras de aposentadoria também valem para ex-parlamentares inscritos no Plano de Seguridade Social dos Congressistas (PSSC). O relator explicou que a omissão no texto poderia retirar do alcance da reforma os ex-parlamentares, “enquanto nosso entendimento é que a Reforma da Previdência deve valer para todos”. “Assim, também eles deverão se sujeitar àquela que é uma das mais rigorosas regras da reforma: idade mínima, sem transição, de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, com pedágio extra de 30% além da idade mínima”, escreveu em seu complemento de voto. 

Votação dos destaques

Saiba como foi a votação dos destaques na CCJ: 

Pensão por morte 
A CCJ aprovou uma emenda proposta pelo líder do MDB, Eduardo Braga (MDB-AM), que prevê que nenhuma pensão deverá ter valor abaixo de um salário mínimo. Atualmente, uma portaria do governo federal já prevê isso. No entanto, os senadores querem assegurar essa condição na Constituição. Essa alteração já estava prevista no relatório de Tasso Jereissati, mas a ser feita pela chamada PEC paralela. "[O relator] faz as alterações no âmbito da chamada PEC Paralela, não estando claro neste momento quando ela será aprovada", afirmou Braga. "Até lá, a mudança seria mantida de forma precária, por meio de uma portaria. As famílias brasileiras precisam da segurança que somente o texto constitucional pode dar", completou. O líder do PSL, Major Olímpio (SP), por orientação do governo, propôs por meio de destaque a rejeição dessa mudança na PEC principal, mas foi vencido. A votação foi simbólica, sem contagem de votos. 

Idade mínima 
Os senadores rejeitaram um destaque proposto pelo líder do PSD, Otto Alencar (BA), que previa para o regime geral a idade mínima de aposentadoria de 62 anos para homens, e tempo de contribuição de 20 anos; e idade mínima de 60 anos para mulheres, e tempo de contribuição de 15 anos. “Julgamos justo que se estabeleça uma idade mínima, mas que não seja tão dura”, afirmou Alencar na justificativa de seu destaque. Com isso, permaneceu no texto a idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres. 

Economia com mudanças 
Com as mudanças promovidas por Tasso Jereissati, sem a chamada PEC Paralela, a reforma da Previdência da PEC principal gerará uma economia de R$ 870 bilhões em 10 anos para a União. Caso a PEC paralela seja aprovada pelo Congresso, a economia subirá para cerca de R$ 1,3 trilhão. 
Imagem: Google

Fonte: G1

Partidos articulam ampliação de orçamento do fundo eleitoral mesmo com reação negativa

04 de setembro de 2019
Em uma articulação suprapartidária, partidos já trabalham para ampliar o orçamento do fundo eleitoral de 2022, mesmo depois de reação negativa nas redes sociais. O Congresso foi criticado por tentar aumentar o valor para gasto em campanhas num momento de novo déficit orçamentário. Isso foi explicitado com a votação de projeto de lei, que terminou na noite desta terça-feira (3). O texto abre uma brecha para aumentar o valor deste fundo com o objetivo de financiar as campanhas municipais do próximo ano, sem estipular um percentual fixo das emendas de bancada. Deputados ouvidos pelo blog confirmam que a intenção é aumentar, durante a discussão do Orçamento, o recurso para a eleição municipal do próximo ano. Esse movimento ganhou força depois que o governo admitiu revisar o valor do fundo. A equipe econômica previa inicialmente que o fundo teria R$ 2,5 bilhões em 2020, mas o cálculo estava errado. A nova previsão é que o fundo receba R$ 1,87 bilhão. Na eleição de 2018, o fundo contou com R$ 1,7 bilhão, conforme resolução aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O líder do Novo, deputado Marcel van Hatten (RS), criticou a articulação na Câmara para ampliar esse valor do fundo eleitoral. Foi o Novo que alertou o governo do erro do cálculo para o fundo eleitoral do próximo ano. “Isso é decepcionante. Esse dinheiro poderia ir para obras”, argumentou Marcel van Hatten.
Por Gerson Camarotti/Imagem: Google

Fonte: G1/Blog do Camarotti

sábado, 31 de agosto de 2019

Petrolina: Ex-vereador Domingos de Cristália expõe sua indignação com o poder público municipal

31 de agosto de 2019
Ascom/Por Cleber Sena

Fonte: You Tube

Lagoa Grande-PE – Prefeito sem obras em quase três anos de governo e o senador de olho nas prefeituras do Sertão

31 de agosto de 2019
Uma das metas políticas do Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) é ampliar o numero de prefeitos e vereadores no Sertão do São Francisco nas eleições municipais de 2020 e formar uma base sólida quem sabe para disputar o governo de Pernambuco em 2022 ou renovar o mandato no senado. O senador vai jogar duro para tomar a prefeitura de Dormentes que está no comando da sua opositora, Josimara Cavalcanti e já estaria articulando pré-candidatura da vereadora Rosarinha. O senador vai tentar renovar o mandato do prefeito Miguel Coelho e unificar as forças políticas da oposição para derrotar a gestão do prefeito Vilmar Cappellaro (MDB). FBC vai ter pré-candidato a prefeito disputando a prefeitura. O prefeito de Lagoa Grande, vai fechando quase três anos de governo e não tem uma obra de sua gestão que carimbe seu governo, pelo contrário, conta com ações do governo Paulo Câmara a exemplo, da sede da prefeitura, saneamento de alguns bairros, Avenida Miguel Arraes que se arrasta há meses para ser concluída, algumas ruas calçadas que vale destacar que são frutos de emendas parlamentares. Para não ser injusto, mais de dois anos a gestão de Lagoa Grande está para concluir uma calçada, onde serão alocados os vendedores de milho e uva sem nenhuma obra concluída e sem cumprir boas partes das promessas de campanha, Cappellaro se sustenta em um governo fragilizado, apoiado pelo grupo do vice-prefeito que tenta se manter na vice na disputa pela reeleição. 

Fonte: Blog do Fábio Cardoso

Caminhoneiros prometem paralisar as estradas na próxima quarta-feira (4)

31 de agosto de 2019
A madrugada de terça (3) para quarta-feira (4) da próxima semana promete ser um misto de movimento e paralisação nas estradas de todo o Brasil. Isto porque devido à suspensão do julgamento sobre a constitucionalidade da tabela que prevê pisos mínimos para o frete dos caminhoneiros autônomos por parte do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, a categoria optou por bloquear o movimento nas rodovias federais, em todo o país, neste dia. De acordo com a categoria, o protesto não tem nem data nem hora para conclusão. Nos dias anteriores, a partir de domingo (1), haverá panfletagem junto aos caminhoneiros. O STF ainda não tem previsão para uma nova data de julgamento. O grupo vinha negociando há algum tempo, sem sucesso, uma nova tabela com o governo após a anterior - considerada com valores baixos pela categoria - ter sido suspensa em julho. Marconi França, líder dos caminhoneiros autônomos em Recife, conta que foi informado da suspensão do julgamento, por telefone, pelo ministro Tarcísio de Freitas. Ele diz acreditar que o adiamento ocorreu porque a tabela seria considerada constitucional e conta que a categoria já vinha articulando-se nacionalmente, há aproximadamente 30 dias, para pressionar o STF com o argumento da validade da lei 13.703. Isto porque ela teria passado por todos os trâmites jurídicos e constitucionais, além de aprovada na Câmara dos Deputados, Senado e CCJ, além de sancionada pelo então presidente Michel Temer. “Não estamos pedindo nada de mais, só o que é nosso e o cumprimento de uma lei vigente. Não há o que se discutir sobre isso. Tínhamos sido informados de que a Advocacia Geral da União (AGU) defenderia esta causa com unhas e dentes, mas fomos pegos de surpresa na data de ontem. Então, mediante o exposto, estaremos firmes com o movimento”, afirmou. Marconi supõe, ainda, que até a próxima segunda (1), a categoria deve ser convocada para uma reunião, a qual não pretendem comparecer. “O que estamos pleiteando, há cerca de 15 anos, é o nosso piso mínimo. Em 2015 foi proposto um acordo com uma tabela referencial e isso já não funcionou. Só aceitamos a vinculativa à nossa lei”, explica. Ele credita o adiamento do julgamento à pressão de setores fortes do agronegócio bem como da bancada do segmento composta por 252 deputados e 35 senadores. “Eles estão querendo ganhar tempo mas, para a gente, não importa se isto será julgado hoje ou daqui a 50 anos. Enquanto estiver vigente, a lei é soberana e só queremos que o governo faça sua parte”, continua. E complementa fazendo um pedido à população para que não faça tal qual aconteceu no ano passado com a corrida aos postos. “Já sabemos que transportadores de combustíveis aderirão. Portanto, abasteçam os carros e comprem gás de cozinha porque só sairemos do asfalto quando formos atendidos”, adianta. Outros líderes da categoria procurados apresentaram opiniões divergentes sobre os próximos passos após a suspensão do julgamento. Nélson Junior, o Carioca, de Barra Mansa (RJ), diverge sobre como a categoria deve proceder. Segundo ele, o adiamento ocorreu porque, muito provavelmente, a tabela seria considerada inconstitucional, o que revoltaria os caminhoneiros e poderia gerar uma greve. Com isso, a categoria deve voltar para a mesa de negociações com o governo e o setor privado, diz o caminhoneiro. Repercussão no setor do agronegócio - O adiamento da corte repercutiu no segmento. Para a Abiove (Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais), o baixo desempenho do PIB (Produto Interno Bruto) e a retração do setor do agronegócio em 0,4% anunciada nesta quinta-feira (29) pelo IBGE é reflexo da pressão sobre o setor produtivo, que sente os efeitos do tabelamento do preço do frete. De acordo com André Nassar, presidente da Abiove, a paralisação dos caminhoneiros em maio de 2018 ainda interfere na retomada de crescimento econômico. "O tabelamento do frete é um impeditivo porque criou um cenário de insegurança jurídica e elevou os custos operacionais, comprometendo a geração de emprego e renda em nosso país", disse ele. Em nota, a associação disse ser "impossível tornar o Brasil mais eficiente com essa distorção no nosso mercado de transportes".

Fonte: Diário de Pernambuco

Projetos de energia eólica serão financiados pelo FDNE

31 de agosto de 2019
Dois projetos estimados em R$ 142 milhões (cada um) de investimento total - Vila Piauí 1 Empreendimentos e Participações S/A e Vila Piauí 2 Empreendimentos e Participações S/A - contarão com R$ 85,2 milhões (cada um) do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE). A participação do Fundo foi aprovada pela Diretoria Colegiada da Sudene e pode ser de até 60% do investimento total, limitado a 90% do investimento em capital fixo. Os empreendimentos “pertencentes ao grupo econômico Echoenergia Participações S/A" enquadram-se nas diretrizes e prioridades espaciais e setoriais para aplicação de recursos do Fundo. Juntos, ambos terão uma capacidade instalada da ordem de 75,6 MW e contribuirão com a geração de 400 empregos diretos e seis mil indiretos durante a fase de implantação. Quando estiverem em plena operação os empregos diretos serão mantidos. A Coordenação de Fundos de Desenvolvimento da Sudene informa que, além da criação de postos de trabalho, a região se beneficiará com a geração de renda, decorrente da remuneração rateada de forma uniforme entre todos os lotes das Vilas em que os Parques estão instalados. De acordo com o coordenador Roberto Cavalcante, atualmente 31 famílias proprietárias das terras já participam do rateio e são beneficiadas com um valor mínimo de R$ 6.000/MW instalado/ano (valores atuais), ou 1,55% da receita bruta do parque, o que for maior. A empresa informou, ainda, que será criada uma série de programas voltados para a preservação dos recursos naturais, do ecossistema local e para o bem-estar das comunidades que vivem em torno dos complexos eólicos. Alguns deles estão focados em monitoramento da fauna silvestre, recuperação de áreas degradadas e monitoramento de processos erosivos. Já contaram com financiamento do FDNE 20 projetos de energia instalados na área de atuação da Autarquia, distribuídos nos estados do Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte e Maranhão. Eles representaram investimento total de, aproximadamente, R$ 3 bilhões, com a participação do FDNE na faixa de R$ 1,4 bilhão.

Fonte: Diário de Pernambuco

Bastidores da Política de Lagoa Grande-PE: Mais um jovem na disputa para 2020

31 de  agosto de 2019
Em Lagoa Grande no Sertão de Pernambuco, a ascensão em torno de uma política jovem para a disputa de 2020, vem esquentando os bastidores da política da Capital da Uva e do Vinho. Depois da grande proporção que tomou na mídia e na cidade com o suposto lançamento pelo senador Fernando Bezerra da pré- candidatura à prefeita da jovem vereadora Iara Evangelista, agora surge mais um jovem que promete alavancar mais ainda o grupo da oposição na cidade. É o jovem recém formado em economia Henrique Diniz, que também já está sendo apresentado como pré-candidato a prefeito, filho de Jacinto Silva, bancário aposentado, hoje produtor de uvas e manga no Vale do São Francisco e Maria Aparecida Diniz, ela que é ex secretária de educação do município no governo da ex prefeita Rose Garziera e ex secretária de saúde do atual governo. Henrique Diniz, é o mais novo economista filho de Lagoa Grande, diplomado pela Universidade Federal de Campina Grande(UFCG), com competência para atuação nas áreas, sociais, econômicas e políticas. E sem nem baixar o burburinho que causou o nome de Iara, o nome de Henrique já começa a gerar comentários nas rodas de bate papos políticos nas esquinas da cidade. A apresentação do jovem chegou causando impacto numa foto ao lado do ex-prefeito Jorge Garziera, de quem ele e sua família são fiéis aliados. Duas vertentes jovens e de futuro, um com as bênçãos do Senador Fernando Bezerra e o outro com as bênçãos dos Garzieras. Como perguntar não ofende: Iara e Henrique seriam a promessa de uma politica jovem e futurista para Lagoa Grande?

Fonte: Lagoa Grande Notícias

São Paulo empata com Grêmio e perde a chance de encostar no líder

31 de agosto de 2019
O São Paulo perdeu a chance de encostar no líder do Campeonato Brasileiro ao empatar com o Grêmio, por 0 a 0, no Morumbi, diante de 47 mil pessoas, neste sábado (31), em partida iniciada às 11h. Mesmo diante de uma equipe considerada reserva, o São Paulo encontrou um adversário aguerrido, que não ficou o tempo todo na defesa, dificultando as ações da equipe da casa. Com o empate, o São Paulo, há dois jogos sem marcar gols, se manteve na terceira colocação, com 31 pontos, mas um jogo a mais do que o líder Flamengo, que tem 33. O Grêmio se manteve na faixa intermediária, com 22 pontos, ocupando o 11º lugar. Os principais entraves para o São Paulo foram no meio-campo, onde o Grêmio soube neutralizar a criação de jogadas. Nos primeiros minutos, quando o calor ainda não atrapalhava, o time paulista buscou tocar a bola e pressionar a equipe gaúcha na defesa, criando algumas chances, como uma com Antony, que chutou para fora após aproveitar o rebote, aos 7 minutos. Com o tempo, o Grêmio foi avançando a marcação, conseguindo também oferecer perigo ao São Paulo, que só voltou a criar uma boa chance no fim da primeira etapa.  
Cansaço pesou
No segundo tempo, o panorama se manteve semelhante, com a diferença de que o cansaço começou a pesar para ambas as equipes. O São Paulo buscava pressionar, mas esbarrava na forte marcação gremista, comandada pelos zagueiros Paulo Miranda e David Braz. Por outro lado, o Grêmio avançava com o mesmo padrão de sua equipe titular. Os volantes Michel e Thaciano saíam jogando com velocidade. E no ataque, Everton Cebolinha (o único titular que começou jogando) e Diego Tardelli eram muito perigosos, com inversões e algumas tabelas, alimentados também pelo avanço do lateral Rafael Galhardo. Diante das dificuldades ofensivas, Cuca optou por tirar o meia Vitor Bueno e colocar o veloz Helinho. O time chegou raramente, uma delas aos 37, quando Júlio César espalmou chute rasteiro de Igor Gomes. Em seguida, Antony, o mais perigoso do São Paulo, se livrou da marcação para Júlio César fazer novamente boa defesa. Logo depois, o atacante foi expulso, por receber o segundo cartão amarelo. De resto, o "paredão" gremista se mostrou inabalável na partida, obrigando o São Paulo a ficar tocando a bola, sem encontrar espaços. Daniel Alves fez uma partida discreta. Na próxima quarta-feira, o Grêmio visita o Athletico (PR) pela segunda partida da semifinal da Copa do Brasil. No domingo, pelo Brasileiro, enfrenta o Cruzeiro em Belo Horizonte. Já o São Paulo joga no próximo sábado (7), às 19h, contra o Inter (RS) no Beira-Rio, pelo Brasileiro.

Fonte: R7 Esportes

Municípios vão receber recursos para equiparem salas de vacinação

31 de agosto de 2019
Os municípios, com até 100 mil habitantes, vão receber nos próximos meses R$ 44,2 milhões do Ministério da Saúde para que possam adquirir câmaras frias a fim de ampliar a estrutura de armazenamento de vacinas e imunobiológico. A liberação dos recursos foi acertada durante reunião da Comissão Intergestores Tripartite, realizada esta semana em Brasília. A medida tem por objetivo garantir a qualidade dos imunobiológicos ofertados à população e a execução da Política Nacional de Imunizações dentro do padrão de qualidade e segurança do Sistema Único de Saúde (SUS). “Entre as vantagens da câmara fria estão o controle real da temperatura e sua distribuição homogênea, o processamento dos dados que permite acompanhar qualquer alteração no equipamento e ainda a disponibilização de bateria, caso ocorra queda de energia. Com isso, é possível garantir a qualidade e a eficácia da vacina aplicada na população, além de evitar a perda desses insumos por conta das variações de temperatura”, disse o diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, Julio Croda. De acordo com o ministério, além do critério do número de habitantes, o município precisa ter implantado o sistema de informação nominal do Programa Nacional de Imunizações e não dispor de uma câmara refrigerada. O dinheiro será liberado na modalidade fundo a fundo, em parcela única, pelo Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e/ou Municipais, por meio do Bloco de Investimento na Rede de Serviços Públicos de Saúde, no Grupo de Vigilância em Saúde. Todos os procedimentos e critérios para o repasse dos recursos financeiros serão divulgados em portaria que o ministério publicará em breve.

Fonte: Agência Brasil/Leia Mais

Barcelona desiste de contratar Neymar, e permanência do craque no PSG é iminente

31 de agosto de 2019
O Barcelona desistiu da contratação de Neymar. Depois de investir pesado no fim da semana para tentar acertar com o jogador, o clube catalão optou por sair da negociação após contraproposta do Paris Saint-Germain. Uma pessoa ligada ao negócio confirmou a informação após contato do GloboEsporte.com. Na quinta-feira, a expectativa pelo acerto era alta após encontro entre os dirigentes dos dois clubes. O Barcelona tinha colocado à mesa € 130 milhões e mais três jogadores: o zagueiro Todibo, que sairia por empréstimo, o meia Rakitic e o atacante Dembélé, ambos em definitivo. Na última sexta-feira, uma reviravolta. O PSG havia aceitado os três atletas, mas queria uma quantia maior em dinheiro. Tal situação atrapalhou os planos do Barcelona, que optou por desistir. O estafe de Neymar desanimou e, pela primeira vez desde o início dessa história, admite que o jogador deve seguir em Paris. Até porque o Real Madrid, concorrente do Barcelona pelo craque, parou as conversas com o clube francês. E a Juventus, outra interessada, tampouco avançou nas tratativas. 
A janela de transferências europeia se encerra na noite de segunda-feira. Neste momento, a permanência no PSG ainda não está consumada, mas é iminente. E o estafe do craque já iniciou um trabalho emocional para que ele se acostume com a ideia. Depois de deixar claro para os franceses que queria sair, Neymar não terá um período fácil pela frente.

Fonte: Globo Esporte

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.039 em 2020

30 de agosto de 2019
O salário mínimo proposto pelo governo federal para o ano que vem é de R$ 1.039. O valor consta no Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) de 2020, que foi enviado hoje (30) para análise do Congresso Nacional, juntamente com o texto do projeto de lei que institui o Plano Plurianual (PPA) da União para o período de 2020 a 2023. "Esse valor é exatamente o número de 2019 corrigido pelo INPC. Não é nossa política de salário mínimo. Temos até o fim do ano para estabelecer nossa política de salário mínimo", afirmou o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, durante coletiva de apresentação do Orçamento 2020. Até o ano passado, a política de reajuste do salário mínimo, aprovada em lei, previa uma correção pela inflação mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). Esse modelo vigorou entre 2011 e 2019. Porém, nem sempre houve aumento real nesse período porque o PIB do país, em 2015 e 2016, registrou retração, com queda de 7% nos acumulado desses dois anos. O valor previsto agora está abaixo da última projeção, anunciada em abril, que indicou um salário mínimo de R$ 1.040. A revisão para baixo está relacionada à correção do valor do salário mínimo de 2020 ser corrigido pela inflação desse ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que registrou queda nos últimos meses (de 4,19% para 4,09%). Cada aumento de R$ 1 no mínimo terá impacto de cerca de R$ 298,2 milhões no Orçamento de 2020. A maior parte desse efeito vem dos benefícios da Previdência Social de um salário mínimo. Mesmo com a ligeira redução, o salário mínimo do ano que vem vai ultrapassar a faixa R$ 1 mil pela primeira vez na história. O reajuste representa uma alta de um pouco mais de 4% em relação ao valor atual (R$ 998). 

Fonte: Agência Brasil

Projeto de ensino de inglês no Brasil será financiado pelos EUA

30 de agosto de 2019
Organizações educacionais sem fins lucrativos que ensinam a língua inglesa estão enviando propostas para a embaixada e os consulados dos Estados Unidos para criar e implementar um programa de acesso ao inglês nos estados brasileiros. Entre as cidades contempladas estão: Belém, Recife, Brasília, Manaus, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo. Intitulado Access, o programa oferece aulas para participantes de áreas economicamente desfavorecidas, após o período escolar e com sessões intensivas. Futuramente, os estudantes serão encaminhados para seleções de intercâmbio. Em alguns estados, o programa prevê qualificação na língua estrangeira. Em outros, o Access quer auxiliar professores em início de carreira. As propostas de projeto devem ser enviadas até 1º de setembro para o e-mail: relobrazil@state.gov. Outro programa que beneficia jovens que não têm condições de arcar com o valor integral de uma mensalidade de um curso de idiomas, faculdade ou Educação Básica é o Educa Mais Brasil. Com 15 anos de atuação no mercado, o programa já beneficiou mais de um milhão de jovens com suas bolsas de estudo em todo Brasil. Se interessou? Acesse o site do programa e confira todas as oportunidades disponíveis na sua região. É possível encontrar bolsas com até 70% de desconto.
Foto: Divulgação

Fonte: A Tarde