Inglês Aecus

segunda-feira, 20 de março de 2017

Papelão e substância cancerígena ou exagero? O que se sabe - e o que é dúvida - na operação Carne Fraca

19 de Março de 2017
Carne com papelão? Vitamina C cancerígena na salsicha? Desde que a Operação "Carne Fraca" da Polícia Federal foi deflagrada na última sexta-feira, as informações se espalharam pela internet e causaram pânico em muitos consumidores. A BBC Brasil conversou com engenheiros de alimentos e especialistas em carnes para esclarecer o que pode e o que não pode ser adicionado no processamento de carnes e quais as preocupações que a investigação da PF deve despertar no consumidor. Para alguns deles, a maneira como a operação foi divulgada acabou gerando uma desconfiança "exagerada" sobre a carne brasileira. "A polícia agiu mal com a maneira como divulgaram tudo. Acho que houve um certo exagero, para precipitar a loucura que foi na imprensa ontem", disse à BBC Brasil o engenheiro de alimentos Pedro Felício, da Unicamp. A também engenheira de alimentos Carmen Castillo, da ESALQ - USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), ressalta que as empresas que fabricam produtos com carne devem obedecer estritamente à legislação, mas pontua que alguns ingredientes citados nas acusações, como o ácido ascórbico, são necessários para o processamento dos alimentos. "Não é problema usar esses ingredientes, o problema é não respeitar os níveis permitidos", disse à BBC Brasil. De acordo com a Polícia Federal, esse seria um dos delitos cometidos pelas empresas, que utilizavam ingredientes no processamento de carnes em quantidades acima dos níveis permitidos. "Eles usam ácidos, outros ingredientes químicos, em quantidades muito superiores à permitida por lei pra poder maquiar o aspecto físico do alimento estragado ou com mal-cheiro", explicou o delegado da PF responsável pela investigação, Maurício Moscardi Grillo, em entrevista coletiva na sexta-feira. A operação deflagrada pela PF foi a maior de sua história e revelou que empresas do setor, incluindo as as gigantes JBS e a BRF, adulteravam a carne que vendiam no mercado interno e externo. A investigação também revelou um esquema de propinas e presentes dados pelos frigoríficos a fiscais do Ministério da Agricultura, que supostamente recebiam para afrouxar a fiscalização e liberar a comercialização de carne vencida e adulterada. Sobre as acusações, a JBS se manifestou dizendo que "é a maior interessada no fortalecimento da inspeção sanitária no Brasil", ressaltando que "no despacho da Justiça Federal que deflagrou a operação, não há qualquer menção a irregularidades sanitárias ou à qualidade dos produtos da JBS e de suas marcas." A BRF disse que "apóia a fiscalização do setor e o direito de informação da sociedade com base em fatos, sem generalizações que podem prejudicar a reputação de empresas idôneas e gerar alarme desnecessário na população." 

Exagero?
O delegado Grillo explicou os problemas encontrados na carne das empresas investigadas pela operação - que iam desde mudar a data de vencimento e a embalagem de carnes estragadas, que eram usadas como matéria-prima para embutidos, até injetar água em frangos para alterar seu peso e mascarar a deterioração de carnes com o uso de ácido ascórbico. "São dois anos de análise de fatos, desde utilização de papelão por essas empresas - até essas que já citei de grande porte (JBS e BRF) - para colocar esse tipo de situação em comidas, pra fazer enlatados, e outras coisas que podem prejudicar a saúde humana. (...) Tudo isso mostra que o que interessa para esse grupo é o capitalismo, é o mercado, independente da saúde pública", disse. "Determinados produtos, cancerígenos até, em alguns casos, eram usados pra poder maquiar as características de um produto estragado ou com cheiro." Mas alguns especialistas ouvidos pela BBC Brasil avaliam o modo como as informações foram divulgadas como "sensacionalista". "A divulgação da operação foi muito sensacionalista. Essa é uma questão pontual. Estou nesse mercado, estudando e trabalhando, há 30 anos. Uma das empresas que dirijo importava carne do Uruguai e da Argentinos até 2012. Hoje, 100% da carne que usamos é produzida no Brasil porque melhorou muito a qualidade", afirma Sylvio Lazzarini, dono do restaurante Varanda Grill, em São Paulo. Já Felício ressaltou a importância da investigação e disse que a operação revela um problema no setor, que "precisa de uma renovação no sistema de fiscalização". Ele destaca, porém, que é preciso tomar cuidado com a "demonização" de ingredientes comuns na indústria de carnes, como o ácido ascórbico, "que é utilizado no mundo todo". A BBC Brasil procurou a Polícia Federal, mas não obteve resposta até o fechamento dessa reportagem. 

Papelão 
Ao anunciar a operação, a PF mencionou que empresas envolvidas no esquema de corrupção "usavam papelão para fazer enlatados (embutidos)". Em uma das ligações telefônicas citadas no relatório da Polícia, funcionários da BRF falam sobre o uso de papelão na área onde produzem CMS (carne mecanicamente separada, comumente usada na produção de salsichas). No áudio, é possível ouvir: "Funcionário: o problema é colocar papelão lá dentro do cms também né. Tem mais essa ainda. Eu vou ver se eu consigo colocar em papelão. Agora se eu não consegui em papelão, daí infelizmente eu vou ter que condenar. Luiz Fossati (gerente de produção da BRF): ai tu pesa tudo que nós vamos dar perda. Não vamos pagar rendimentos isso." Pedro Felício acredita que a referência ao papelão não foi feita como ingrediente para o processamento da carne. "Acho muito difícil isso ter acontecido. O que acontece é que tem áreas dentro das indústrias que são chamadas de área limpa, onde não podem entrar embalagens secundárias, como caixas de papelão", diz. "Na gravação que ouvi, duas pessoas falavam em entrar com uma embalagem de papelão na área limpa. Evitar papelão nessas áreas faz parte das boas práticas de manufatura, mas não fazer isso não é o mesmo que usar papelão dentro da salsicha." Em nota, a empresa BRF afirmou que "houve um grande mal entendido na interpretação do áudio capturado pela Polícia Federal". A empresa afirma que um de seus funcionários falava que tentaria embalar a carne em papelão. O produto é embalado normalmente em plásticos. "Na frase seguinte, ele deixa claro que, caso não obtenha a aprovação para a mudança de embalagem, terá de condenar o produto, ou seja, descartá-lo", afirma Felício. 

Ácido ascórbico
O ácido ascórbico - a popular vitamina C - também foi citado pelo delegado da PF como algo utilizado para "maquiar" o aspecto da carne. "Eles usam ácido ascórbico e outras substâncias na carne pra maquiar essa imagem ruim que ficaria se ela fosse expostas dessa forma. Inclusive cancerígenas. Então se usa esses produtos multiplicados 5, 6 vezes pela quantia permitida pela lei para que não dê cheiro, e o aspecto de cor fique bom também", disse Grillo. A partir daí, muitas pessoas associaram o ácido ascórbico como sendo uma substância potencialmente cancerígena. De acordo com a OMS, ela pode contribuir com distúrbios gastrointestinais, cálculos renais e outros problemas de saúde se for consumida em excesso e por longos períodos de tempo, mas não há evidências de qualquer relação com o câncer. Os especialistas alertam que o uso de ácido ascórbico em si na carne não é problema. "O uso dele tem benefícios e não é para mascarar carne adulterada. Ele tem uma função nas carnes processadas como antioxidante, ajuda a melhorar a estabilidade do sabor e reduzir o teor de nitrito residual. O nitrito é um aditivo para realizar a cura, que é uma etapa importante no processamento da maior parte dos produtos processados. Todo ingrediente não cárneo tem função a cumprir no processamento de alimentos", afirmou Carmen Castillo. Pedro Felício pontua que o ácido ascórbico "evita que a carne fique com uma coloração marrom" e que "isso é feito no mundo todo". A substância, segundo Felício, consegue mascarar a deterioração da carne no princípio, quando ela só tem algumas manchas, mas não quando o estado é mais avançado. "A carne usada como matéria-prima não deve ter qualquer aditivo, nem o ácido ascórbico. Se a Polícia achou isso, não deveria acontecer", diz. 

Salsicha de peru sem peru
A descoberta de que, no Paraná, alunos da rede pública estadual consumiram salsicha de peru sem carne de peru - preenchida com proteína de soja, fécula de mandioca e carne de frango - deu início à investigação de dois anos. "Muitas vezes verificou-se a falta de proteína, por exemplo, numa merenda escolar, trocada por fécula de mandioca ou então a proteína da soja, que é muito mais barata do que a carne, então substituía. Muitas vezes até tinha a quantidade de proteína suficiente, mas não era a proteína da carne, era proteína de outro alimento, que não traz as mesmas substâncias pro corpo humano como a carne", afirmou o delegado. O uso de soja e de fécula de mandioca são comuns na produção de embutidos em todo o mundo, segundo os especialistas, porém é preciso respeitar as quantidades permitidas pela lei. "É preciso observar as quantidades usadas, porque elas só podem ser usadas dentro dos limites da lei. Senão, você tem um produto de carne que tem predominância de matérias-primas não cárneas", diz Felício. 

Injeção de água no frango
Segundo a PF, fiscais teriam descoberto que frangos da empresa BRF, a maior exportadora de frango do mundo, teriam "absorção de água superior ao índice permitido". "Injetar água no frango é um problemão com o qual o Brasil vive e luta contra há muito tempo. Há oito anos que o Ministério da Agricultura é cobrado pelo Ministério Público que o frango não pode ter mais de 8% de água", afirma Felício. "É uma luta difícil. Eu não duvido que isso aconteça muito por aí, mas existe um esforço para combater." A prática não chega a ser prejudicial à saúde, mas altera o peso da carne. "É uma fraude econômica", diz o engenheiro.

Cabeça de porco
O uso da carne de cabeça de porco ou de boi em linguiças é discutido em uma das ligações interceptadas entre os sócios do frigorífico Peccin e é proibido no Brasil. "Usavam cabeça de porco, animal morto, tudo para fazer esse tipo de produtos, principalmente esses derivados, salsicha, linguiça, e outros produtos", afirmou Grillo. A utilização de cabeça de porco é admitida em outros países, segundo Felício. "Não será a melhor linguiça do mundo, mas não é prejudicial à saúde. Será um produto comestível, mas de categoria inferior." "No Brasil, essa carne é considerada como matéria-prima nas formulações de embutidos cozidos, como mortadela, mas não em linguiças, que são cruas." 

O consumidor deve se preocupar? 
Segundo Sylvio Lazzarini, as irregularidades encontradas pela Polícia Federal devem ser punidas, mas não representam a totalidade dos produtos feitos no Brasil e vendidos em supermercados e restaurantes. "A carne brasileira evoluiu muito nos últimos anos e é muito segura. Senão o Brasil não exportaria para os países asiáticos, e muito menos para os EUA, que tem um dos maiores controles fitossanitários do planeta", diz Lazzarini. Para o empresário, "irregularidades desse nível existem em todo o mundo porque bandidos existem em todo lugar". O Ministério da Agricultura divulgou nota também para "acalmar os ânimos" dos consumidores. "O Serviço de Inspeção Federal é considerado um dos mais eficientes e rigorosos do mundo. Tem um quadro de 2.300 servidores e inspeciona 4.837 unidades produtoras habilitadas para exportação para 160 países. Foi com este Serviço que construímos uma reputação de excelência na agropecuária e conseguimos atender às exigências rigorosas de diferentes nações", afirma a pasta. O delegado da PF chegou a ser questionado na coletiva de imprensa se seria correto afirmar que "quase nenhum produto no mercado hoje está 100% livre dessas possíveis fraudes". Ele respondeu com cautela, mas não escondeu sua preocupação. "É possível que a gente tenha consumido alimentos de baixa qualidade, no mínimo, com qualidade inferior do que deveria ser fornecido." "Hoje é realmente complicado. Tenho ido ao mercado e passeio um bom tempo até escolher um produto, mudou esse aspecto na minha vida. É difícil porque a confiança que a gente tem nas empresas, pelo menos da minha parte, mudou muito. São empresas que a gente considerava corretas, então assusta. Obviamente deve ter empresas sérias, corretas, mas na investigação foi assim, foi aparecendo uma, depois outra. Acho que a gente pode dizer que todas as empresas que a gente teve o azar ou a sorte de investigar tiveram problemas sérios. Foram quase 40." Para evitar problemas, Pedro Felício afirma que os consumidores devem sempre conferir se os estabelecimentos de onde compram carne vendem produtos com certificação de origem e de inspeção, de preferência federal. "O que está sendo utilizado nos produtos está aprovado e discutido e é usado em outros países. Eu não acredito que essas acusações possam ser generalizadas, acho que é um problema localizado e o governo terá que resolver", diz. 
BRF BRASIL FOODS S.A.

Fonte: G1

domingo, 19 de março de 2017

Ladrão é espancado até a morte por populares em MT

19 de Março de 2017
Um homem ainda não identificado foi linchado até a morte após invadir uma residência no bairro Pôr do Sol, em Rondonópolis (218 km de Cuiabá) e tentar cometer um assalto na manhã deste sábado (18). Um comparsa do rapaz fugiu e acabou sendo detido ainda na região pela Polícia Militar. Segundo informações da PM, a dupla com uma arma invadiu uma casa, rendeu os moradores e queriam roubar uma motocicleta que estava com um anúncio de venda. Um morador que estava em um quarto fugiu pelos fundos e procurou por ajuda. O rapaz que estava armado correu atrás dele e acabou sendo detido pela polícia algumas quadras depois. Já o bandido que ficou na casa foi linchado até a morte por populares. A Polícia Civil esteve no local e está apurando o caso. O corpo do homem morto será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). 

Fonte: Folhamax

Petrolina lança projeto Orla Nossa de preservação do Rio São Francisco

19 de Março de 2017
O prefeito Miguel Coelho (PSB) acompanha, nesta segunda-feira (20), às 10h00, o lançamento do projeto Orla Nossa. A iniciativa agrega uma série de atividades para preservar o Rio São Francisco e envolver a população na defesa do maior patrimônio natural do Vale. A primeira etapa do projeto foi destinada a estudos técnicos sobre a situação da orla fluvial. Agora, as equipes da Prefeitura irão retirar baronesas e lixo nas margens do Velho Chico. Também será realizada, em parceria com a Compesa, uma operação para identificar ligações clandestinas e fechar tubulações que despejam esgoto no rio. O projeto Orla Nossa é uma iniciativa da Prefeitura de Petrolina coordenada pela Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA). O trabalho envolve diversas secretarias, Governo do Estado e IF Sertão na defesa do Rio São Francisco. 
Foto: Ascom

Fonte: Blog do Carlos Britto

Transporte coletivo de Petrolina tem aumento nas tarifas

19 de Março de 2017
Após intensas negociações desde o fim do ano passado, a Prefeitura de Petrolina aprovou um reajuste para as passagens do transporte coletivo. Os novos valores entram em vigor neste domingo (19). De acordo com a prefeitura, de segunda-feira a domingo a tarifa para quem paga em dinheiro será de R$ 3,50. Os usuários do Cartão BIP Pré-pago continuam com o desconto e o valor é R$ 3,20. Os estudantes pagarão tarifa de R$ 1,75 referente ao valor da meia passagem, com desconto para quem compra antecipadamente. O último reajuste nas passagens de ônibus de Petrolina tinha acontecido em janeiro de 2016, quando o valor passou de R$ 2,80 para R$ 3,20. 
Imagem: Google

Fonte: Blog de Alvinho Patriota

Odebrecht diz ter acertado repasse de R$ 50 milhões a Aécio Neves

19 de Março de 2017
Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira que leve seu sobrenome, afirmou em depoimento de delação premiada que discutiu um repasse de R$ 50 milhões ao senador Aécio Neves (PSDB-MG). O acordo teria sido firmado junto à construtora Andrade Gutierrez, após ambas as empresas vencerem um leilão para construir a hidrelétrica Santo Antônio, em Rondônia, em dezembro de 2007. As informações são do jornal Folha de S. Paulo. A Odebrecht teria se comprometido a pagar R$ 30 milhões, enquanto o restante ficaria a cargo da Andrade Gutierrez, segundo depoimentos delatores. Eles não esclareceram, no entanto, se o rapasse foi efetivado, nem classificam o ato como pagamento de propina. No ano em que ocorreu o leilão da usina Santo Antônio, no rio Madeira, em 2007, Aécio estava no seu segundo mandato como governador de Minas Gerais e comandava um das empresas que integravam o consórcio que ganhou a disputa, a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais). A empresa de energia continua a ser controlada pelo governo de MG. Segundo o jornal, o tucano também mantinha influência sobre o principal investidor da usina, a empresa Furnas. Procurado, Aécio disse que é "absolutamente falsa" a acusação. "A licitação da obra da usina de Santo Antônio foi realizada pelo governo federal, sem qualquer influência do governo de Minas", diz nota. 
Foto: Agência Senado

Fonte: NMB/Blog do Geraldo José

Jovem sofre tentativa de homicídio próximo à Rodoviária de Petrolina

19 de Março de 2017

Um jovem, de 24 anos, sofreu uma tentativa de homicídio próximo à Rodoviária de Petrolina, no bairro Gercino Coelho, zona leste da cidade. O fato, conforme o 5º Batalhão de Polícia Militar, aconteceu na madrugada deste domingo (19). Felipe Batista de Vasconcelos Souza contou à polícia que dois elementos chegaram e efetuaram três disparos de arma de fogo, sendo que um lhe atingiu na altura na perna. A vítima foi socorrida pelo Samu ao Hospital Universitário e não corre risco de morte.

Fonte: Blog do Carlos Britto

Como a Dinamarca reduziu 25% do desperdício de alimentos no país com atitudes muito simples

19 de Março de 2017
Fonte: Facebook - Quebrando o Tabu

Sandália feminina com solados intecambiáveis

19 de Março de 2017
Fonte: Facebook - Bolsa de Mulher

Temer anuncia 'força-tarefa' para auditar frigoríficos alvos da Carne Fraca

19 de Março de 2017
O presidente Michel Temer anunciou neste domingo (19), durante reunião com embaixadores de países que importam a carne brasileira, que haverá uma "força-tarefa" para fiscalizar os frigoríficos alvos da operação Carne Fraca. No pronunciamento, Temer também chamou os diplomatas para jantar em uma churrascaria em Brasília. Deflagrada na sexta-feira (17) pela Polícia Federal, a operação investigou o envolvimento de fiscais do ministério em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. Foi descoberto que funcionários de superintêndencias regionais recebiam propina para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem fiscalização. "Quero fazer um comunicado aos senhores que, naturalmente, peço que transmitam aos seus governantes. Nós tomamos várias deliberações no dia de hoje. A primeira delas é que decidiu-se acelerar o processo de auditoria nos estabelecimentos citados na investigação da Polícia Federal que são, na verdade, 21 unidades no total. Três dessas unidades foram suspensas e todas as 21 serão imediatamente colocadas sob regime especial de fiscalização a ser conduzida por força-tarefa do Ministério da Agricultura", declarou o presidente aos embaixadores. Ao longo deste domingo, o presidente teve uma série de reuniões com o objetivo de discutir medidas para enfrentar a crise gerada pelas revelações da operação Carne Fraca. Temer recebeu, por exemplo, os ministros da Agricultura, Blairo Maggi, e da Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, além de representantes de associações como a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec). 

O pronunciamento
Em uma fala que durou cerca de dez minutos, o presidente disser ser "importante e fundamental" receber os embaixadores dos países que importam a carne brasileira para que o governo pudesse apresentar as explicações sobre a operação. Ao se dirigir aos diplomatas, Temer afirmou que "a maneira como se deu a notícia" sobre as investigações, "pode ter criado uma preocupação muito grande" – pouco antes de entrar para a reunião, o embaixador da União Europeia no Brasil, João Gomes Cravinho, chegou a dizer que a situação "preocupa". Em seguida, o presidente destacou que, dos 11 mil funcionários do Ministério da Agricultura, "apenas" 33 estão sendo investigados por envolvimento no esquema. "Não é o sistema de defesa agropecuária que está sendo investigado, mas alguns poucos desvios, de alguns poucos funcionários, de algumas poucas empresas. Todas as plantas exportadoras permanecem abertas às inspeções dos países exportadores e ao acompanhamento do sistema nacional de controle, que é um dos mais respeitados do mundo", acrescentou. Temer também ressaltou que há no país atualmente 4.837 unidades sujeitas a inspeção federal e, dessas, "apenas" 21 estão envolvidas na operação Carne Fraca. Aos diplomatas, o presidente disse, ainda, que a partir desta segunda, o Ministério da Agricultura informará quais países receberam os produtos e a origem por empresa.

Fonte: G1

Dono da Telexfree chama investidores de 'povo burro' em conversa

19 de Março de 2017
Conversas do dono da Telexfree, Carlos Costa, com o sócio Carlos Wanzeler, apresentadas em fevereiro pelo Ministério Público Federal à Justiça Federal no Espírito Santo, mostram que o empresário zombava dos investidores, chamando-os de “povo burro”. As provas das irregularidades, coletadas durante a Operação Orion em 2014, foram retiradas do sigilo pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Em várias mensagens, Costa e Wanzeler discutiam sobre o percentual de divulgadores que não pediam resgaste das remunerações conquistadas com o negócio e comemoravam o alto índice de reinvestimento na empresa. Os dois também conversaram sobre estratégias para mostrar legalidade no negócio. Uma das armas, segundo Costa, seria pagar impostos. “Isso seria como investimento para manter o negócio… pois provamos com impostos que temos clientes seja onde for no mundo…”, escreveu Costa para Wanzeler em janeiro de 2013 assim que veio à tona as investigações envolvendo a empresa. As atividades da Telexfree foram suspensas, a princípio, de forma liminar em junho de 2013 pela Justiça do Acre. Todos os bens dos sócios da companhia e de familiares, cerca de R$ 700 milhões em dinheiro, além de imóveis e carros, foram bloqueados. De acordo com a denúncia do MPF, para continuar a captar recursos de investidores e manter altos lucros, os empresários burlaram essa decisão judicial, cadastrando novos associados, residentes no Brasil, por uma suposta rede americana. O caso foi revelado em reportagem publicada em 5 de setembro de 2013. Em troca de mensagens com Inocêncio Pereira Reis Neto, o Pelé, Carlos Costa mostrou preocupação em ter os planos frustrados após divulgação da matéria. “... parece que saiu na gaceta (sic) sim que líderes estariam fazendo rede no exterior… então muito cuidado no dia de hj (sic)”. O braço americano da Telexfree atuou até 13 de abril de 2014, quando a empresa entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos. Outros diálogos dos empresários, no entanto, revelam que, pelo menos um mês antes, a empresa já não tinha mais condições de pagar os lucros conquistados pelos divulgadores. Num bate-papo pelo Skype, no dia 7 de abril de 2014, Carlos Costa afirma para Wanzeler que mais de 70% reinvestiu os ganhos. “...pode confiar em mim nesse número. Eles sempre fazem isso e vc (sic) sabe disso… se não for mais. kkkkk. Povo burro. kkkkkk”. Em setembro de 2015, a empresa foi condenada pela 2ª Vara Cível de Rio Branco a ressarcir os divulgadores devido à comprovação de que o negócio seria uma pirâmide financeira. Apesar da decisão do Acre, os donos da empresa e líderes de rede continuaram a ser investigados pela Polícia Federal no Espírito, que concluiu parte do inquérito criminal em janeiro. Os empresários mais 20 pessoas são acusados de cometer crime contra o sistema financeiro ao fazer da Telexfree um banco clandestino que emitia moeda eletrônica e a transformava em dinheiro de verdade. Eles também foram denunciados por lavagem de dinheiro, por usar laranjas por ocultar bens e por organizar pirâmide financeira e vender valores mobiliários sem autorização da Comissão de Valores Mobiliários. 

Outro lado
O advogado criminalista Rafael Lima, defesa do dono da Telexfree, e da maioria dos denunciados, diz que não vai comentar o teor dos diálogos dos empresários revelados nas denúncias do Ministério Público Federal. Segundo ele, as conversas são de natureza íntima e deveriam ter sido mantidas em segrego pelo Judiciário. “Qual seria o motivo de não se preservar esses dados sigilosos? As denúncias trazem conversas telemáticas, dados fiscais, bancários. Para que isso? Como isso pode contribuir com a sociedade. O juiz havia autorizado a publicação de parte das informações sobre a denúncia. O público já foi informado sobre o caso”, disse. Para eles, as mensagens foram colocadas no processo fora do contexto. “São trechos soltos. Uma frase. Seria bem diferente se fosse colocado dentro de um contexto”.

Fonte: G1

União Europeia pede ao Brasil resposta urgente sobre operação da PF

19 de Março de 2017
A União Europeia pede que o governo brasileiro responda com urgência o pedido de esclarecimentos enviado por Bruxelas sobre a Operação Carne Fraca, que investiga um esquema de corrupção na fiscalização de frigoríficos no Brasil. Na segunda-feira (20), autoridades europeias devem debater a eventual necessidade de restringir a importação de carne do Brasil. Hoje, a UE compra carne bovina e de frango do país (a entrada de carne suína é bloqueada). "Há urgência e a necessidade absoluta de um esclarecimento cabal", afirmou à Folha o embaixador da União Europeia no Brasil, o português João Cravinho. "Se os esclarecimentos forem insuficientes, a pressão da opinião pública e nossas obrigações em relação à proteção ao consumidor podem, nesse caso, levar a medidas que tenham efeito sobre o comércio entre União Europeia e Brasil", disse.Os europeus querem saber se estão diante de um problema pontual ou sistêmico. Segundo Cravinhos, a depender do diagnóstico, pode haver a aplicação de medidas cautelares. "Uma menos drástica passaria por um controle pormenorizado de todas as importações que vêm do Brasil. Outras mais drástica seria a suspensão das importações caso a conclusão seja que não podemos confiar no sistema de certificação brasileiro", afirmou. O Ministério da Agricultura sinalizou que irá responder à consulta ainda neste fim de semana. Cravinhos afirmou que recebeu com surpresa as notícias sobre os achados da Polícia Federal. Os europeus fazem inspeções ocasionais e, segundo o embaixador, consideravam o sistema de fiscalização brasileiro adequado. "Naturalmente, aquilo que se passa nesse momento não é bom para a reputação do Brasil. Mas está inteiramente nas mãos das autoridades brasileiras fornecer todas as informações e dar a transparência necessária para que haja credibilidade no sistema", disse. De acordo com Cravinhos, é um erro dizer que o episódio afetará as negociações entre Mercosul e União Europeia. 

Fonte: Folhapress

Investigação prossegue dois meses após acidente aéreo que matou Teori

19 de Março de 2017
A Investigação que apura as causas do acidente aéreo que matou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki prossegue após dois meses da tragédia, completados neste domingo (19). Relator da Operação Lava Jato no STF, Teori Zavascki morreu aos 68 anos, em 19 de janeiro, depois que o avião em que estava com outras quatro pessoas caiu no litoral de Paraty (RJ). Atualmente, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), responsável por apurar quedas de avião no país, está coletando e analisando dados obtidos do acidente, informou a Força Aérea Brasileira (FAB), à qual o Cenipa é subordinado. Não há prazo para a conclusão da investigação. Um dos objetos estudados pelo Cenipa, em Brasília, é o gravador de voz da cabine do piloto. Por meio do áudio registrado, por exemplo, é possível saber o que o piloto falou antes da queda, seja com os passageiros ou com o controle de tráfego aéreo. É possível também ter uma indicação se os sistemas do avião estavam funcionando normalmente, como o motor da aeronave. Questionada pelo G1, a FAB não informou se a análise do gravador já foi concluída e se há indicativos de falha humana. Essa seria uma hipótese preliminar segundo investigadores ouvidos pelo colunista do G1, Matheus Leitão. Na época do acidente, a TV Globo informou que o piloto da aeronave fez duas tentativas de pouso no aeroporto de Paraty antes de cair no mar. A gravação também teria demonstrado, de acordo com a TV Globo, que não houve pânico, pedido de socorro ou alarme sonoro dentro da aeronave. Análise preliminar da Aeronáutica também indicou que a caixa-preta, onde fica o gravador, não apontou “qualquer anormalidade" nos sistemas da aeronave. Entretanto, o áudio é somente um dos eixos da investigação – o GPS e destroços do avião também estão sob análise – e não pode ser considerado como conclusivo, segundo a FAB ao G1. Ao G1, a Força Aérea afirmou que todo o processo é “dinâmico” porque novas demandas surgem a partir das análises já realizadas. Mesmo assim, a investigação será concluída no “menor prazo possível”, de acordo com a complexidade do acidente. O relatório final será divulgado publicamente no portal do Cenipa na internet. 

Acidente 
O avião de prefixo PR-SOM era um modelo Hawker Beechcraft King Air C90 e pertencia ao grupo Emiliano Empreendimentos, cujo dono, Carlos Alberto Filgueiras, de 69 anos, também morreu no acidente. De pequeno porte, tinha capacidade para oito pessoas. As outras vítimas foram a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk, de 23 anos, e a mãe dela, Maria Ilda Panas, 55, além do piloto Osmar Rodrigues, 56. Segundo informações do Bom Dia Brasil, ele era conhecido por ser "muito cuidadoso" e chegou a dar palestra para outros pilotos sobre como fazer a rota São Paulo-Paraty. Segundo a Infraero, a aeronave decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo, com destino a Paraty, e caiu próximo à Ilha Rasa, a 2 km de distância da cabeceira da pista do aeroporto da cidade fluminense. O acidente ocorreu por volta das 13h45. Chovia bastante no momento do queda, segundo imagens de radar. O mau tempo é um fator que pode comprometer a aproximação do aeroporto de Paraty, em que as aterrissagens só podem acontecer em condição visual. Testemunhas disseram que não houve explosão. Uma delas afirmou ter visto o avião voando baixo ao fazer uma curva e batendo uma das asas no mar. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a documentação da aeronave estava regular. O certificado era válido até abril de 2022, e inspeção da manutenção (anual) estava válida até abril de 2017.

Fonte: G1

Polícia Federal prende 36 pessoas durante a Operação 'Carne Fraca'

18 de Março de 2017
Trinta e seis pessoas foram presas durante a Operação Carne Fraca deflagrada pela Polícia Federal (PF), na sexta-feira (17). De acordo com a PF, até esta noite de sábado (18), duas ainda estão foragidas: o empresário do frigorífico Frigobeto, Nilson Alves Ribeiro - que estaria na Itália - e o filho dele, Nilson Umberto Sacchelli Ribeiro, diretor da empresa. Além das prisões, a Justiça Federal determinou o bloqueio de até R$ 1 bilhão das contas bancárias das 46 pessoas investigadas, e o Banco Central informou o bloqueio de pouco mais R$ 2 milhões. Não significa necessariamente que cada um dos investigados tenha R$ 1 bilhão. Este é um teto estipulado pela Justiça. Segundo a Polícia Federal, fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebiam propina para liberar licenças sem realizar a fiscalização adequada nos frigoríficos. A investigação indica que eram usados produtos químicos para maquiar carne vencida, e água era injetada nos produtos para aumentar o peso. As carnes irregulares eram vendidas no Brasil e no exterior. Há também casos de papelão em lotes de frango e carne de cabeça de porco em linguiças. Ao todo, 22 empresas são investigadas na operação, das gigantes JBS e BRF – que controlam marcas como Seara, Perdigão e Friboi – a frigoríficos menores como Master Carnes, Souza Ramos e Peccin. As autoridades não detalharam quais irregularidades foram cometidas por cada empresa. As empresas afirmam que estão colaborando com as investigações e negam adulteração nos produtos. Há ainda a suspeita de que os partidos PP e PMDB eram beneficiados com propina. 

Acordo para não fechar fábrica
Em São Paulo, o gerente de Relações Governamentais e Institucionais da Brasil Foods (BRF), Roney Nogueira, que teve a prisão decretada na sexta-feira, se entregou na manhã deste sábado (18) à Polícia Federal. Os advogados disseram que ele estava na África do Sul e retornou nesta madrugada. Roney será transferido para Curitiba na terça-feira (14). De acordo com os investigadores, Roney Nogueira teria tratado de propina com Dinis Lourenço, chefe do Departamento de Inspeção do Ministério da Agricultura em Goiás. Conforme a PF, a conversa seria para impedir que o funcionamento da unidade da BRF na cidade de Mineiros fosse suspenso, por contaminação de uma bactéria. No despacho do juiz, a unidade, que processa frango e peru, aparece apenas como "Fábrica da BRF em Mineiros, Goiás." Segundo a Polícia Federal, uma conversa gravada entre Roney Nogueira e André Baldissera, diretor da BRF, indica que Dinis Lourenço pediu apoio em uma campanha eleitoral para que a unidade continuasse funcionando. Dinis e André Baldissera também estão presos. 

Veja a transcrição da conversa
Roney: eu vou contar o que ele pediu. Aí ele pediu o seguinte que hoje, ele tá, o Dinis tá pra assumir como o superintendente. Porque a bancada que cuida aqui do Ministério da Agricultura é do PDT. E para ele ficar como superintendente ou ficar no Sipoa ele tem de dar resultado para a bancada do PDT. Ele pediu apoio da BRF aí nas eleições municipais, tá. 
André: ah, vamos fazer. 
Roney: agora eu vou cobrar ele. Entendeu. Se ele quer a minha ajuda, ele vai ter que bater no peito e conseguir isso aí pra gente. E se não conseguir, eu não consigo nada. Entendeu? 
André: essa é uma notícia muito boa. 

Sipoa é o Departamento do Ministério da Agricultura responsável pela fiscalização de produtos de origem animal. Não há informação no despacho se o apoio político foi efetivado. Mas, segundo o juiz Marcos Josegrei, a unidade de Mineiros não foi fechada, ao que tudo indica, pela influência de Roney Nogueira e André Baldissera. A BRF é um dos maiores grupos produtores de alimentos do Brasil e dona de marcas como Sadia e Perdigão. A Polícia Federal não informou quais marcas da empresa eram produzidas na unidade de Goiás.

Interdições após a operação
A fábrica da BRF em Mineiros foi interditada na sexta-feira pelo Ministério da Agricultura. Neste sábado, caminhoneiros estavam parados à espera de liberação das notas fiscais para poder transportar as cargas. Na operação também foram interditadas duas unidades da Peccin Agroindústria: em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, e em Curitiba. A Peccin produz derivados de frango, porco e embutidos em geral, com as marcas Peccin e Itali alimentos. 

Outro lado

BRF 
A BRF declarou que a fábrica interditada de Mineiros está habilitada pra exportar para os mercados mais exigentes do mundo, como Canadá, União Européia, Rússia e Japão e e que isso significa que segue as diferentes normas estipuladas por esses países. Segundo a empresa, uma auditoria do Ministério da Agricultura, no fim de fevereiro, considerou a unidade apta a manter suas operações. A companhia também afirmou que a interdição é preventiva e temporária e que vai durar até que apresente as informações que atestem a segurança e a qualidade de seus produtos, o que vai acontecer em breve, uma vez que, segundo a companhia, os processos e os padrões estão entre os mais rigorosos do mundo. A BRF declarou, ainda, que a empresa e seus técnicos respeitam os princípios éticos e legais do Brasil e dos países para os quais exporta, que não compactua com práticas ilícitas, que está realizando uma apuração independente e que tomará medidas cabíveis, caso seja verificado qualquer ato incompatível com a legislação. A empresa também declarou apoio à fiscalização do setor e ao direito de informação da sociedade, com base em fatos, sem generalizações que podem prejudicar a reputação de companhias idôneas e gerar alarme na população. 

JBS
A JBS declarou que a qualidade é a sua maior prioridade e a razão de ter se transformado na maior empresa de proteína do mundo. Acrescentou que exporta para mais de 150 países, como Estados Unidos, Alemanha e Japão e que é auditada por missões sanitárias internacionais e por clientes. A empresa afirmou que, no Brasil, há dois mil profissionais dedicados exclusivamente a garantir a qualidade dos produtos JBS e das marcas Friboi e Seara e que 70 mil funcionários têm treinamento obrigatório nessa área todos os anos. A JBS afirmou, ainda, que no despacho da Justiça não há menção a irregularidades sanitárias da empresa, que nenhuma fábrica dela foi interditada, que nenhum executivo da companhia foi alvo de medidas judiciais e que não compactua com desvios de conduta. Por fim, a JBS afirmou que reforça o comprometimento com a qualidade de seus produtos e que reitera seu compromisso com o aprimoramento das práticas sanitárias. 

Dinis Lourenço
A advogado de Diniz Lourenço disse que a suspeita contra o cliente não tem comprovação e que não vai se sustentar depois do depoimento dele. 
Roney Nogueira
A defesa de Roney Nogueira afirmou que o cliente retornou ao Brasil assim que soube do decreto de prisão para prestar os esclarecimentos necessários. 
André Luis Baldissera 
O advogado de André Luis Baldissera afirmou que não vai se manifestar até ter acesso a todo o conteúdo do processo. 
PDT
O PDT de Goiás declarou que não tem envolvimento com nenhum ministério. 
Peccin
A Peccin informou que repudia o que chamou de falsas alegações que levaram às prisões de seus diretores, e que tem interesse em contribuir com as investigações. A reportagem não conseguiu contato com as defesas de Nilson Alves Ribeiro, Nilson Sachelli Ribeiro, e com o Frigobeto.
Fonte: G1

Aranhas comem até 800 milhões de toneladas de insetos por ano

18 de Março de 2017
Números de um estudo publicado na revista The Science of Nature, traduzem a importância que aranhas possuem no controle de populações. A massa total de insetos caçada por todas as aranhas do mundo, em um único ano, pode atingir valores astronômicos – algo entre 400 e 800 milhões de toneladas. A efeito de comparação, o consumo mundial de carne e peixe da população humana, fica na casa dos 400 milhões de toneladas. Mais de 95% das capturas de presa acontece em regiões de campo e floresta, onde as aranhas essencialmente habitam. Por conta de sua atuação nessas áreas, a população de insetos herbívoros pode ser até 20% menor. Estima-se que entre 8 a 10 mil espécies são predadas exclusivamente por aranhas. A incidência de mortes de presas, por sua vez, é ínfima em áreas como as desérticas (2%), locais que apesar de inóspitos, também foram colonizados pelas aranhas. As condições adversas, além da grande extensão dessas áreas, ajudam a explicar a baixa densidade populacional – e seu menor instinto assassino. São conhecidas atualmente 45 mil espécies diferentes, e sua concentração, em regiões com as condições ideais, pode chegar a mil indivíduos por metro quadrado (sim, bizarro só de pensar). Seu cardápio é 90% composto por insetos e outros aracnídeos – ainda que certas espécies ocasionalmente se alimentem de pequenos vertebrados (como sapos, lagartos, pássaros e morcegos) ou levem dieta vegetariana. A pesquisa mostra também que as aranhas que habitam regiões de culturas agrícolas contribuem com menos de 2% das capturas de presas. Isso pode ser explicado pela maior quantidade de alimento disponível, que faz com que elas tenham de se concentrar na tarefa de sair à caça de presas apenas em alguns momentos do ano.

Fonte: MSN Notícias

Mega-Sena, concurso 1.913: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 6 milhões

18 de Março de 2017

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.913 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (18) em Barra Bonita (SP). O prêmio de R$ 3 milhões acumulou. Veja as dezenas sorteadas: 04 - 14 - 17 - 43 - 52 - 56. A quina teve 43 apostas ganhadoras, e cada uma vai levar R$ 35.274,91. Outras 2.960 apostas acertaram a quadra e vão receber R$ 732,05 cada uma. A estimativa de prêmio para o próximo sorteio, na terça-feira (22), é de R$ 6 milhões. As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50. 

Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa. Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Fonte: G1

Homem é espancado até a morte no Bairro Dom Tomaz, em Juazeiro-BA

18 de Março de 2017
De acordo com informações policiais, por volta das 00h20 deste sábado (18), um homem foi vítima de espancamento no Bairro Dom Tomaz, em Juazeiro BA. Ainda segundo informações policiais, em virtude dos ferimentos a vítima veio a óbito. Ainda não se sabe a autoria e motivação do crime. A Polícia Civil vai investigar o caso.
Imagem: Reprodução/WhatsApp

Fonte: Blog Diniz K-9

quarta-feira, 15 de março de 2017

Jovem é assassinado e corpo é carbonizado em Araripina-PE

15 de Março de 2017
O corpo do jovem Manoel do Nascimento Sales, de 20 anos, foi encontrado carbonizado na tarde desta terça-feira (14), no Sítio Ponta da Serra, Zona Rural de Araripina, Sertão de Pernambuco. Segundo a Polícia Militar, a vítima estava caída sobre uma motocicleta tendo seu corpo carbonizado juntamente com o veículo. A equipe da CVLI esteve no local e não identificou marcas de agressão. O corpo da vítima foi removido pela equipe funerária AFASAL de Araripina e a motocicleta foi entregue na delegacia de polícia civil, porém não foi possível identificar dados do veículo. Por volta das 20h50 a policia civil informou à guarnição que o homicídio foi constatado através de uma testemunha ocular. Este foi o quinto homicídio no mês de março em Araripina. No ano, já são dez assassinatos na maior cidade do Sertão Araripiano. 
Por Roberto Gonçalves/Foto: Reprodução/WhatsApp

Fonte: Blog Ouricuri em Evidência

Paracanoagem para atletas com deficiência física no Vale do São Francisco está com inscrições abertas

15 de Março de 2017
O projeto de paracanoagem para pessoas com deficiência física está com inscrições abertas. Pessoas com algum tipo de paraplegia, tetraplegia ou amputação de membros inferiores interessadas em participar de aulas de canoagem podem se dirigir ao colegiado de educação física da UNIVASF ou entrar em contato pelo telefone/WhatsApp (87) 9 9935-1345. Ao todo serão disponibilizados, neste primeiro momento, 16 vagas para pessoas com deficiência de ambos os sexos com idade mínima de 14 anos. As inscrições vão até o final de Abril ou até o preenchimento das vagas ofertadas. Paracanoagem é uma adaptação da canoagem regular voltada para as pessoas com deficiência. Recentemente realizou sua estreia nos jogos Paralímpicos Rio 2016 sendo praticada por pessoas com deficiência física. Para o coordenador do projeto Leonardo Gasques "a prática da paracanoagem apresenta-se como uma das formas de enfrentamento da exclusão de pessoas com deficiência em Petrolina e região, porque além de promover benefícios diretamente ligados a pessoas com deficiência melhorando autoestima, prevenção de doenças, auxilio na reabilitação entre outros, também espera-se modificar o olhar da sociedade em relação ao deficiente, fazendo que a população deixe de vê-la como alguém invalido e sem expectativa de vida e passe a enxergá-la com potencialidades e capacidades", finalizou. 
Inscrições gratuitas
Para maiores informações: Fan page: www.facebook.com/paracanoagemunivasf 
Email: paracanoagem@gmail.com 
Telefone : (87) 9 9935-1343 
Natanael Barros - Professor de Educação Física

Fonte: Blog Diniz K-9

Alho diminui sintomas da TPM e pode ajudar a emagrecer

15 de Março de 2017
O alho é famoso pelo seu cheiro forte e também por deixar mau hálito. Entretanto, muitas pessoas desconhecem os benefícios desse alimento para a saúde. Este alimento contém substâncias capazes de estimular o sistema imunológico e ainda prevenir doenças cardiovasculares. O alho contém selênio e germânio. O selênio tem ação antioxidante, que evita o envelhecimento celular e o germânio, segundo estudos recentes, leva oxigênio para os tecidos e também tem propriedades contra o câncer. O alho também tem em sua composição algumas vitaminas: A, B1, B2, C e minerais como cálcio, enxofre, iodo, magnésio, selênio, sódio e zinco. Boa parte dos estudos sobre o alho mostra os benefícios para a saúde cardiovascular. O princípio ativo do alho chamado de alicina que é responsável pelo odor desagradável desse alimento. O alho fresco fornece aliina um aminoácido sulfurado que se transforma em alicina após ação da alinase (enzima). Como ele contém compostos sulfurosos, ajuda na desintoxicação promovida pelo fígado que contribui para a eliminação de substâncias que não causam mais nenhum efeito no organismo. O alho também é benéfico para os sintomas da tensão pré-menstrual, pois alivia os sintomas como dor de cabeça, dor na região lombar e nas mamas. Isso porque o seu consumo correto auxilia na eliminação de substâncias que não servem mais para o organismo. Se o alho for consumido na quantidade certa ele ajuda a dilatar os vasos, facilitando a circulação. Além dos seus benéficos para a saúde, o alho também faz parte da lista de medicamentos naturais para amenizar a gripe e acelerar a recuperação do organismo. Isso porque ele contém alicina na sua composição que é considerado um antimicrobiano. E também é rico em vitaminas A, C e E.O chá de alho, por exemplo, consegue hidratar o corpo e aliviar o mal-estar provocado pela gripe. Para se beneficiar do alho, é recomendado uma colher de sopa de alho picado em uma xicarada de água. Ferva a água por cinco minutos. Depois deixe esfriar e coe. O indicado é tomar uma xícara do chá três vezes ao dia. Embora não existam estudos científicos que comprovem a eficácia de chás no combate à gripe, o chá de alho também ajuda a fortalecer o sistema imunológico, o que pode proporcionar uma cura mais rápida da gripe. 

O alho contribui para a perda de peso? 
O alho pode auxiliar no emagrecimento por também ser considerado um alimento termogênico, que ajudam o metabolismo a trabalhar durante o processo digestivo. Quem deseja emagrecer acaba apostando também nas cápsulas de alhos que são pílulas compostas por óleo de alho concentrado. Elas possuem um valor nutricional muito rico em vitaminas, minerais e aminoácidos. O consumo das cápsulas pode favorecer para a redução do colesterol, glicose sanguínea, combate bactérias, regulador da tireoide, protege o coração e previne a arteriosclerose. O óleo de alho pode ser contraindicado para gestantes, lactantes e crianças. O ideal é não fazer o consumo sem orientação médica e também em grandes quantidades. É preciso ter cautela em relação ao seu consumo, pois ele pode causar queda de pressão. 

Alho negro
O alho negro tem casca dourada e dentes escuros, o que pode levar muitas pessoas a acharem que ele está queimado ou apodrecido. De origem coreana, o alho negro foi desenvolvido a partir do alho fresco que é submetido a um processamento de envelhecimento, elevada a alta temperatura, sendo controlado por um período de 30 a 40 dias. Esse tipo de alho é antioxidante e ajuda prevenir os danos dos radicais livres no corpo. Lembrando que o alho negro possui o dobro de antioxidantes comparado ao alho comum. O seu consumo é benéfico para a saúde, pois ele ajuda na redução do colesterol, prevenção de câncer, evita o desenvolvimento de doenças associadas à aterosclerose. O alho negro possui uma textura e um sabor muito diferente do alho comum. Além disso, ele tem um sabor mais suave. Apesar de sofrer esse processo de maturação, o alho negro contém as mesmas propriedades do alho comum, ou seja, ele é bactericida, antiviral, hipotensor e antioxidante. Ele pode ser consumido em diversas preparações e pode até ser substituído pelo alho comum em algumas receitas. A melhor forma de consumir o alho para aproveitar suas propriedades é triturar, amassar ou picar o alho e deixar 10 minutos em repouso antes do preparo. Esse é o tempo para permitir a ação da aliinase - processo que converte a aliina em alicina. Mas, atenção, o alho cozido perde suas propriedades, por isso, sempre consuma o alho in natura. Escolha cabeças de alho redondas e cheias - evite aquelas com dentes soltos, moles ou murchos. A parte exterior deve estar intacta e sem manchas. Procure comprar a quantia suficiente para uma semana, e não mais do que isso. Conserve o alho sem a casca por três dias na geladeira e com casca sempre fora da geladeira. O ideal é consumir três dentes de alho por dia para obter seus benefícios.

Fonte: MSN Notícias/Minha Vida

Casal é preso suspeito de aliciamento e estupro de menor de 12 anos em Araripina-PE

15 de Março de 2017
A Polícia Civil prendeu na última segunda-feira (13), Kleber Alejandro Silva Souza, de 21 anos, e Francisca Daniele Moreira Sales, de 32 anos, suspeitos de aliciamento e estupro de uma menor de 12 anos, no município de Araripina-PE. O caso aconteceu há quase 10 dias, a mãe da criança após perceber que a filha estava com comportamentos estranhos acionou o Conselho Tutelar da cidade, que denunciou o caso à Polícia Civil, que de imediato encaminhou à vítima ao Hospital Santa Maria para fazer o exame de corpo de delito e conjunção carnal. Assim que a veracidade da denúncia foi constatada a delegada Katianna Muniz começou a investigar o caso. Segundo informações preliminares, a vítima mesma foi levada pela acusada Daniele a um motel da cidade, onde o acusado Kleber as esperavam. Ainda de acordo com os relatos, a vítima afirmou que o casal teve relações sexuais na frente dela e que depois, teve de fazer o mesmo na frente da Daniele. Por determinação da delegada municipal Katianna Muniz, os mandados de prisão foram efetuados na manhã dessa segunda-feira, por volta das 11h00, em locais diferentes. Kleber foi preso nas imediações do Bairro Planalto, e Daniele foi presa em uma clínica médica no Centro da cidade. Os policiais que realizaram a operação foram o comissário Alexandre Campelo e o investigador Ronielson, da equipe Malhas da Lei. O homem responderá por estupro a vulnerável e a mulher por aliciamento da menor. 

Fonte: Blog O Povo com a Notícia

Movimentos organizam atos nesta quarta-feira contra reforma da Previdência

15 de Março de 2017
Movimentos populares e entidades sindicais estão convocando em todo o País uma série de manifestações contra a reforma da Previdência para esta quarta-feira, 15. A Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo, ligadas ao PT, encabeçam a convocação dos atos em 23 capitais . O PT, inclusive, está usando as redes sociais para divulgar as manifestações, chamadas no Dia Nacional de Paralisação e Mobilização. Nos materiais de divulgação das manifestações na internet, os organizadores reforçam ainda os pedidos de saída do presidente Michel Temer (PMDB) do cargo e a convocação de eleições diretas. "É preciso organizar a resistência e conscientizar a população nos seus locais de trabalho, nas escolas e universidades, no campo e na cidade, sobre o brutal ataque aos direitos que vem sendo patrocinado por um governo e uma esmagadora maioria do Congresso Nacional, que não tem compromisso com o povo", diz o texto do evento no Facebook publicado pelas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. A reforma da Previdência é a principal pauta dos atos, que também envolvem a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Intersindical e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) como organizadoras. Os protestos coincidem com o dia de assembleias e greves convocadas por sindicatos da Educação no País. "Em cada Estado tem as pautas estaduais, o enfrentamento com os governos estaduais. Mas, de maneira geral, é o enfrentamento ao desmanche da Previdência e às outras reformas do governo golpista, que, mais do que reformas isoladas, faz reformas na natureza do Estado", diz a secretária de Mobilização e Relação com Movimentos Sociais da CUT, Janeslei Albuquerque. Os organizadores classificam a reforma proposta por Temer como o "fim da aposentadoria". Uma das principais críticas é o estabelecimento da idade mínima de 65 anos para homens e mulheres, ponto considerado como inegociável pela equipe de Temer. Por outro lado, parlamentares da própria base aliada têm dito que a reforma não vai ser aprovada nos moldes que foi enviada ao Congresso. "Aquilo que o governo golpista chama de reforma da Previdência, os estudos que temos feito disso mostram que na verdade é um desmonte completo de todo o sistema previdenciário do Brasil", afirma Janeslei. Ela disse que ainda não tem estimativa do número de manifestantes no País nem a quantidade de trabalhadores que vão aderir ao movimento de greve. A CUT espera, entretanto, que haja mobilização e parada de trabalhadores em vários setores além da educação, como transporte e indústria. Em Brasília, o ato está programado para ocorrer às 8 horas na Esplanada dos Ministérios. Em São Paulo, o protesto vai ocorrer a partir das 16h em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista. Antes disso, às 14h, o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) realiza uma assembleia para discutir demandas da categoria na Praça da República. O sindicato incluiu a mobilização contra a reforma da Previdência no mesmo ato. Já no Rio de Janeiro, os manifestantes convocam o protesto para as 16h, na Candelária.

Fonte: JC Online

sábado, 11 de março de 2017

MEC determina fim do Enem por escola; prova foca na seleção do ensino superior

11 de Março de 2017

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta semana medidas que fortalecem o papel do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) apenas como prova de seleção para o ensino superior. Este ano, o exame deixa de certificar o ensino médio. Além disso, a pasta decidiu não mais divulgar os resultados do Enem por escola. Até o ano passado, os estudantes com mais de 18 anos poderiam usar o desempenho no Enem para receber o diploma do ensino médio. Para isso precisavam alcançar pelo menos 450 pontos em cada uma das áreas de conhecimento das provas e nota acima de 500 pontos na redação. Cerca de 11% dos inscritos conseguiam esse resultado anualmente e obtinham a certificação. Agora, a certificação será feita exclusivamente pelo Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), aplicado atualmente no Brasil e no exterior. “É o exame adequado para este fim”, diz a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini. A pasta também decidiu pelo fim da divulgação do Enem por escola, que até o ano passado era divulgado no segundo semestre do ano seguinte à aplicação do exame. A intenção era que as escolas tivessem acesso às informações sobre a atuação dos estudantes nas provas do Enem e pudessem reforçar o ensino em determinados conteúdos. As escolas tinham poderiam conhecer as médias de qualificação dos candidatos, assim como a porcentagem de estudantes participantes e o desempenho deles em cada uma das provas. Segundo Mendonça Filho, as informações geram rankings e são utilizadas pelas escolas como “propaganda falsa”. “O Enem não é um exame que possa permitir avaliação adequada de cada unidade escolar, e quando se faz propaganda utilizando um ranqueamento indevido a partir de uma prova como essa, está se fazendo propaganda enganosa, e o MEC não pode convalidar esse tipo de comportamento”, disse. Para medir a qualidade das escolas, a pasta passará então, a partir deste ano, a usar o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Agora, todas as escolas públicas e privadas, que ofereçam ensino médio, serão avaliadas. Até o ano passado, a avaliação da etapa era feita por amostragem, ou seja, apenas alguns alunos faziam o exame. Cada uma das escolas passará então a ter o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) calculado. 

A polêmica do ranking
Por ser de fácil compreensão por parte do público, o ranking começou a ser amplamente explorado sobretudo nas primeiras divulgações dos indicadores por escola principalmente pela imprensa. O problema é que os ranqueamentos não raro comparavam escolas em situações socioeconômicas diferentes e que tinham, por exemplo, diferentes índices de participação no Enem. Como não se trata de uma avaliação obrigatória, algumas escolas com poucos participantes acabavam sendo comparadas a escolas com mais participantes, o que influenciava nos resultados. Ao longo dos anos, no entanto, o Inep buscou qualificar a análise, incentivando comparações entre escolas inseridas em um mesmo contexto. Outros indicadores passaram a ser divulgados para apurar a análise do desempenho das escolas, como a permanência dos alunos durante todo ou parte do ensino médio e a formação dos professores. No ano passado, o próprio Inep propôs rankings alternativos. 

Repercussões
As escolas particulares viram o fim da divulgação do Enem por escola como algo positivo. “A impossibilidade do ranking para nós é maravilhoso. Vão acabar com uma série de medidas que desvirtuam o resultado da avaliação do Enem”, afirmou a diretora da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Amábile Pacios. Para o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Idilvan Alencar, a média do Enem por escola “não representa a qualidade da escola”. Ele avalia como positiva a avaliação pelo Saeb e pede que os resultados sejam divulgados de forma célere, para que os estados tenham tempo de realizar as devidas mudanças nas escolas. Os estados concentram a gestão da maior parte das escolas públicas de ensino médio. A mudança trouxe também reações contrárias. “O que eu acho mais estranho é ter a informação do Enem e não divulgá-la”, diz o vice-presidente da Associação Brasileira de Avaliação Educacional (Abave) e ex-presidente do Inep, Reynaldo Fernandes. “Sonegar informações não pode ser visto como avanço. A interpretação desses dados é aberta. Ter a informação permite que as pessoas avaliem da melhor forma, conforme os melhores critérios”, defende. O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad também criticou a medida. Haddad foi o responsável por reformar o Enem e permitir, desde 2009, a utilização do exame para a seleção de vagas do ensino superior. “A decisão do MEC de não divulgar os resultados do Enem por escola vai na contramão das políticas públicas de acesso à informação, além de desrespeitar a determinação do Plano Nacional de Educação (PNE) de incorporar o Exame Nacional do Ensino Médio, assegurada a sua universalização (tornando o exame obrigatório para concluintes), ao sistema de avaliação da educação básica”, diz em nota divulgada no Facebook. 

Fonte: Agência Brasil

Hospital Universitário inicia agendamento de consultas médicas por telefone em Petrolina

11 de Março de 2017
A partir desta segunda-feira (13), o Hospital Universitário em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, vai começar a fazer o agendamento das consultas médicas por telefone. Os atendimentos serão iniciados no mês de abril. Segundo a chefe da unidade de regulação assistencial do HU, Giselle Melo, cada especialidade terá uma data para que os pacientes liguem e façam a marcação. "Nos dias 13 e 14 marcaremos os pacientes de ortopedia, no dia 20 são os pacientes de neurocirurgia e endocrinologia, e no dia 21 serão os pacientes de neuroclínica e cirurgia vascular. No dia 22, cirurgia geral, anestesiologia e cardiologia e no dia 23, as demais especialidades. Serão 200 vagas para ortopedia e 150 para neuroclínica. “São três atendentes. É uma experiência nova e dependendo da demanda, a agente vai expandir essas vagas. Se os pacientes não conseguirem marcar, ele pode ligar para o nosso serviço no dia 24. O objetivo é acabar com as filas e facilitar para os pacientes que moram distante. Não precisa mais vir ao nosso serviço, ele faz uma ligação e consegue marcar seu agendamento”, ressalta. Os telefones para agendamento são: (87) 2101-6511, (87) 2101-6514 ou (87) 2101-6585.

Fonte: G1 Petrolina e Região

Agentes Penitenciários de todo o País cruzarão os braços na próxima quarta-feira

11 de Março de 2017

A Federação Nacional dos Servidores Penitenciários anunciou estado de greve da categoria e informou que fará paralisação por 24 horas na próxima quarta-feira (15) nas penitenciárias em todo o país. Os servidores pedem a aprovação de uma PEC, Proposta de Emenda à Constituição, que está em tramitação na Câmara dos Deputados. A proposta inclui na Constituição o agente penitenciário como polícia penal. A categoria argumenta que já faz um trabalho de polícia dentro das cadeias, mas não são reconhecidos como agentes da segurança pública. O sindicato disse que apenas as atividades essenciais nos presídios, como alimentação dos presos ou emergências de saúde serão mantidas. A categoria ainda promete novas paralisações de 48 horas, 72 horas e até uma greve por tempo indeterminado caso não haja avanços na negociação com o governo e o Congresso Nacional. 
Foto: Reprodução

Fonte: Blog do Carlos Britto

Marido se recusa a fazer sexo e esposa e esposa decepa seu pênis

11 de Março de 2017
Uma mulher enfurecida cortou o pênis de seu marido, na última terça-feira (7), após ele se recusar a fazer sexo com ela, em Uttar Pradesh, na Índia. O homem foi levado às pressas ao hospital mais próximo. O homem, de 34 anos, é taxista e tinha acabado de chegar do trabalho quando os dois começaram uma discussão em que a esposa, de 30 anos, exigia que fizessem sexo. A mulher, que se rendeu à policia, disse que teve um ataque de fúria porque seu marido não queria ter filhos e se recusava a ter relações sexuais com ela. Então, no dia da discussão, quando o marido foi urinar, ela pegou um facão de cozinha e o atacou. Em seu depoimento, a esposa alegou que sofria tortura psicológica. "Ele costumava se vangloriar de sua masculinidade e dizia que teria filhos com outras mulheres, mas nunca comigo". A mulher completou dizendo que não entende porque seu marido a odeia, são casados desde junho de 2006 e comumente o homem a pedia para ir embora. "Eu tentei o meu melhor para convencê-lo a ter filhos comigo, mas ele não quer. Não estou arrependida, pois sofri muita humilhação e tortura mental". O marido, que caiu inconsciente após o ataque, ligou para um amigo após acordar que o levou ao hospital mais próximo, onde foi operado. O médico, Dr. Saurabh Gupta, do Hospital Jaypee, disse ao jornal The Times India: "O paciente chegou ao hospital em uma situação crítica, seu pênis foi praticamente todo cortado da base. Ele perdeu muito sangue, a cirurgia durou cerca de cinco horas. Por fim, restauramos o órgão." O irmão do paciente disse que o homem não foi ferido em mais nenhum um lugar além da genitália. "Meu irmão também deu suas declarações à polícia e os membros da família ja foram informados", disse o rapaz.

Fonte: Rede TV/UOL